Com Neymar apagado, Douglas Costa rouba a cena e Brasil derrota o Peru

A Seleção não decepcionou os 45.000 torcedores que foram ao estádio Fonte Nova, nesta terça-feira, e derrotou o Peru por 3 a 0, em jogo válido pela quarta rodada das Eliminatórias à Copa do Mundo de 2018. Diante de mais uma fraca atuação de Neymar, o meia Douglas Costa assumiu o protagonismo no time canarinho e participou de todos os gols marcados pelo Brasil. A vitória traz tranquilidade ao técnico Dunga no comando da equipe nacional e leva a Seleção para o terceiro lugar na tabela de classificação. O time tem sete pontos e está a cinco de distância do líder Equador, invicto até o momento.

Neymar teve mais uma atuação apagada (Foto: Gazeta Esportiva )
Neymar teve mais uma atuação apagada (Foto: Gazeta Esportiva )

Após fracassar no empate por 1 a 1 com a Argentina, em Buenos Aires, com um esquema tático mais rígido, Dunga colocou em campo uma formação que priorizava a velocidade e liberdade dos atletas. Assim como no Corinthians, o volante Elias mostrou entrosamento com o meia Renato Augusto e foi visto apoiando o ataque em certas ocasiões. O apoio pelas laterais também ficou mais evidente, com Willian infernizando os peruanos. Alisson, escalado mais uma vez como goleiro titular, teve atuação segura e defendeu chutes perigosos quando foi exigido.

Mas quem roubou a cena no jogo foi Douglas Costa. O meia do Bayern de Munique brilhou diante da fraca atuação de Neymar e anotou o primeiro gol do Brasil aos 21 minutos do primeiro tempo,, após bela jogada de Willian pela direita. O camisa 7 voltou a decidir em favor da Seleção ao gingar para cima de quatro defensores do Peru, aos 12 do segundo tempo, e deixar Renato Augusto livre para estufar as redes. Já aos 31, Filipe Luís aproveitou rebote do goleiro em chute de Douglas Costa para anotar o terceiro.

Com a situação mais tranquila na tabela, a Seleção só voltará a campo pelas Eliminatórias no dia 24 de março de 2016. O confronto, contra o Uruguai, será disputado no Brasil, mas ainda não tem local definido. Já o Peru, que ocupa a penúltima colocação, com três pontos, tentará se reabilitar diante da Venezuela, dentro de casa.

O Jogo

Apesar da entrada de Gil no lugar deixado por David Luiz, a zaga brasileira voltou a bater cabeça no início do jogo com o Peru. Aos três minutos, Guerrero aproveitou falha dos defensores e saiu na cara de Alisson. O chute, no entanto, foi defendido pelo goleiro. Três minutos depois, Lobatón cobrou falta de longe e Alisson se lançou para espalmar. O Brasil só esboçou uma primeira investida aos 14, em finalização de Elias do meio-campo que passou por cima do gol de Penny.

Foi por meio da habilidade individual de Willian que a Seleção alcançou o primeiro gol. O jogador do Chelsea vinha encontrando liberdade pelo lado direito do campo e, aos 21 minutos, cruzou para Douglas Costa concluir dentro da pequena área. O gol permitiu que o Brasil tocasse a bola com mais tranquilidade, mas não despertou o bom futebol de Neymar nos minutos seguintes da etapa inicial. O astro do Barcelona sofria com a marcação peruana e demonstrava irritação com as faltas sofridas. Aos 25, o jogador recebeu o cartão amarelo por entrada dura no volante Tapia. Em outra ocasião, Neymar reclamou acintosamente ao cometer uma infração no campo de ataque.

Na falta de um protagonismo maior por parte do camisa 10, Douglas Costa assumiu a responsabilidade e quase marcou o segundo da Seleção. Aos 35 minutos, o meia do Bayern de Munique cobrou falta da lateral direita e surpreendeu Penny ao acertar a trave. Antes do fim do primeiro tempo, Neymar teve um lampejo do craque que é no Barcelona e acertou uma bela bicicleta por cima do gol peruano. Mas o lance foi invalidado após o atacante ser flagrado em impedimento.

Um lapso brasileiro no começo do segundo tempo possibilitou que o Peru voltasse a ameaçar Alisson. Aos 9 minutos, Miranda tocou errado no campo ofensivo e deu início a um rápido contra-ataque dos rivais. A bola sobrou dentro da área para Guerrero, que acertou uma bicicleta defendida pelo goleiro canarinho. A resposta veio no lance seguinte, em chute de fora da área de Willian defendido tranquilamente por Penny.

O Brasil, muito superior tecnicamente ao adversário, voltaria a assumir o controle pleno da partida com o segundo gol. Aos 12 minutos, o inspirado Douglas Costa passou como quis por um bloco defensivo dos peruanos e deixou Renato Augusto em condições de tocar na saída de Penny. O meia do Corinthians não conteve a emoção e chorou na beira do gramado ao comemorar o gol com os companheiros.

Quando parecia que Neymar finalmente desencantaria, o bandeira voltou a frustar o atacante ao invalidar uma boa chegada do Brasil ao ataque. Aos 21, o atacante recebeu dentro da área e concluiu sem chances para Penny. Mas, novamente, foi flagrado pelo auxiliar em posição de impedimento. O gol anulado não fez falta à Seleção, uma vez que Douglas Costa surgiu na ponta direita e chutou forte contra Penny, aos 31. O goleiro peruano não conseguiu segurar a bola e permitiu que Filipe Luís aproveitasse o rebote para marcar o terceiro gol canarinho na partida.

Aos 42, com o placar já definido, Dunga tirou Douglas Costa para a entrada de Lucas Lima. O meia foi aplaudido de pé pela torcida baiana por conta de sua atuação. Nos acréscimos, um chute de Guerrero finalmente passou pelo goleiro Alisson, mas o zagueiro Gil estava postado dentro do gol para afastar o perigo com um chutão.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 3 X 0 PERU

Local: estádio Fonte Nova, em Salvador (BA).
Data: 17 de novembro de 2015, terça-feira.
Horário: 22 horas (de Brasília).
Árbitro: José Buitrago (Colômbia).
Auxiliares: Eduardo Díaz e Wilmar Navarro (ambos da Colômbia).
Cartões amarelos: Neymar (Brasil); Advíncula, Tapia e Ascues (Peru)

GOLS:
BRASIL: Douglas Costa, aos 21 minutos do primeiro tempo, Renato Augusto, aos 12 do segundo tempo, e Filipe Luís, aos 31 do segundo tempo

BRASIL: Alisson; Daniel Alves, Miranda, Gil e Filipe Luís; Luiz Gustavo (Fernandinho), Elias, Willian (Oscar), Douglas Costa (Lucas Lima) e Renato Augusto; Neymar.
Técnico: Dunga.

PERU: Penny; Advíncula, Zambrano, Ascues e Yotún; Tapia (Ballón), Christian Cueva, Lobatón (Christofer Gonzáles) e Hurtado (Reyna); Farfán e Guerrero.
Técnico: Ricardo Gareca.

globoesporte.com

Comentários

comentários