Com dois expulsos, Corinthians empata com o Racing e é eliminado

Gazeta Esportiva /JN

O Corinthians agora só tem que se preocupar com o Campeonato Brasileiro. Na noite desta quarta-feira, o líder da competição nacional não foi além de um 0 a 0 com o Racing, no Cilindro de Avellaneda, e acabou eliminado da Copa Sul-Americana. O jogo de ida também havia terminado empatado, mas por 1 a 1.

Timão teve dois jogadores expulsos (Foto: Gazetapress)

Priorizando o Brasileiro, o Corinthians foi à Argentina sem o lateral esquerdo Guilherme Arana e ainda deixou os meio-campistas Rodriguinho e Maycon no banco de reservas. O armador entrou em campo no segundo tempo, no lugar de Jadson, e levou o cartão vermelho quase em seguida por uma falta dura em Pulpo González. Nos acréscimos, o centroavante Jô também foi expulso.

Rodriguinho, Jô e os seus companheiros terão um compromisso importante pelo Brasileiro já na manhã de domingo, o clássico contra o São Paulo, no Morumbi. Por sua vez, o Racing enfrentará o paraguaio Libertad, que superou o Independiente Santa Fe, nas quartas de final da Copa Sul-Americana.

O jogo

Precisando marcar gols para sobreviver na Copa Sul-Americana, o Corinthians tomou a iniciativa de atacar o Racing já nos primeiros minutos. Do outro lado, o time argentino não se incomodava em deixar a bola com o adversário, criando um congestionamento com a sua linha de cinco defensores.

Assim, mesmo com quase 80% de posse de bola, o Corinthians não tinha criatividade suficiente para se desvencilhar da forte marcação argentina. As laterais do campo apareciam como alternativa para a equipe de Fábio Carille, mas Marciel recebia pouco apoio de Marquinhos Gabriel na esquerda e Romero brigava mais do que fazia triangulações com Fagner na direita.

Irmão gêmeo de um antigo destaque do Racing, o meia Óscar Romero, o atacante paraguaio era o corintiano mais caçado no Cilindro. Chegou a ter o seu meião rasgado em uma dividida. Irritadiço, também cometeu algumas faltas mais duras, estranhando-se com o atacante Lisandro López, que tem uma passagem pelo Internacional no currículo.

Foi o outro atacante do Racing, o autor do gol do time argentino no jogo de ida, que teve a melhor oportunidade do primeiro tempo. Aos 35 minutos, aproveitando um lançamento de Lisandro López, Triverio se livrou bem de Pablo dentro da área, mas acabou travado pelo zagueiro na hora da finalização.

Para não correr novos riscos no segundo tempo e ser mais agressivo, o Corinthians tomou a iniciativa de começar a conversar já no gramado, ao término do primeiro tempo. Voltou do vestiário para lá sem substituições, mas com Marquinhos Gabriel na ponta direita e Romero na esquerda.

A mudança não tornou o Corinthians mais envolvente. Para piorar, o time brasileiro errava muitos passes, contribuindo com a estratégia do Racing de fazer o tempo passar. A equipe argentina girava a bola em seu campo de defesa e, mesmo quando tinha espaços, evitava acelerar o jogo em direção ao ataque.

Carille, então, entrou em ação. Sacou Jadson para a entrada de Rodriguinho, um dos seus titulares preservados por desgaste físico. O meia nem sequer suou. Aos 20 minutos, três depois da substituição, ele ergueu a sola do pé para acertar Pulpo González e foi punido com o cartão vermelho.

A expulsão foi comemorada pela torcida do Racing como um gol. E lamentada dessa mesma forma por Carille, que apostou no contestado Giovanni Augusto na vaga de Romero para reanimar o apático ataque do Corinthians. A última ficha foi Kazim, substituto de Marciel.

Desorganizado, o Corinthians tentou compensar a sua ineficiência para criar jogadas de perigo à base da disposição. Não foi suficiente diante de um Racing frio e calculista. Nos acréscimos, em vez do gol, o time visitante acumulou mais um cartão vermelho – para Jô, que levou o segundo amarelo por falta em Solari.

FICHA TÉCNICA RACING 0 X 0 CORINTHIANS

Local: Estádio El Cilindro, em Avellaneda (Argentina)
Data: 20 de setembro de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Leodan González (Uruguai)
Assistentes: Mauricio Espinosa e Nicolas Taran (ambos do Uruguai)
Cartões amarelos: Barbieri, Grimi e Pulpo González (Racing); Jô, Gabriel e Marquinhos Gabriel (Corinthians)
Cartões vermelhos: Rodriguinho e Jô (Corinthians)
RACING: Gastón Gómez; Solari (Pillud), Vittor, Barbieri, Grimi e Soto; Arévalo Ríos, Pulpo González e Zaracho (Meli); Lisandro López e Triverio
Técnico: Diego Cocca
CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Marciel (Kazim); Gabriel, Camacho, Romero (Giovanni Augusto), Jadson (Rodriguinho) e Marquinhos Gabriel; Jô
Técnico: Fábio Carille

Comentários

comentários