Com base nos manuscritos do Sabotage, Spotify e RZO lançam o primeiro rap criado a partir de inteligência artificial

Foto Divulgação
Foto Divulgação

O Spotify acaba de incluir uma nova faixa em sua lista de lançamentos. Dessa vez, diferente de qualquer outra disponível na plataforma, é o primeiro rap do mundo criado a partir da combinação de uma rede neural artificial e da intervenção humana criativa dos co-autores da música, o grupo RZO. A tecnologia gera novas rimas após análise das letras e manuscritos deixados por Sabotage, revivendo sua mente.

Intitulada “Neural”, a música do RZO foi escrita em coautoria com Sabotage, com participação da Família Sabotage e Negra Li e já está disponível para ouvir gratuitamente pelo Spotify — ouça agora:

Sabotage morreu em 2003, deixando um álbum que foi finalizado recentemente com ajuda de sua família e amigos, lançado pelo Spotify em uma audição histórica com os maiores rappers do Brasil. Deixou também centenas de manuscritos, com ideias e letras de músicas. Seu legado vai muito além das rimas: seu pensamento, o processo criativo e a constante inovação são inspiração para uma geração de rappers e músicos brasileiros.

É a partir desse legado, aliado à tecnologia, que surge, 13 anos depois da morte do Maestro do Canão, uma nova música em parceria com seus amigos do RZO e o Spotify.

Bruno Telloli, editor de música do Spotify no Brasil, celebra o projeto: “É muito legal ver como a tecnologia e o homem trabalharam juntos na criação e composição dessa música. É uma experiência totalmente nova para o artista, para nós do Spotify e para os fãs do RZO e do Sabotage. Estamos presenciando uma nova maneira de criar música“.

Para entregar a inovação, o Spotify se juntou à empresa de inteligência artificial brasileira Kunumi, em parceria com a família do artista, o produtor Tejo Damasceno, do Instituto, e o grupo RZO. As primeiras semanas de trabalho foram de configuração e treinamento da rede neural, com estímulos sobre a produção intelectual do artista quando ainda era vivo.

Os envolvidos

Os envolvidos

Após as primeiras hipóteses, um grupo de trabalho reuniu todos os participantes. Formado pela família e amigos próximos do artista, o grupo criou um brain trust, que validava e invalidava sentenças expressadas pela máquina, durante 4 horas de trabalho ininterrupto. Em outra sala, ao mesmo tempo em que o outro grupo trabalhava, as frases validadas como possíveis de serem expressadas pelo Sabotage inspiravam o rapper Helião, do grupo RZO, a criar a nova letra e a nova música. O processo seguinte foi finalizar a letra e entrar em estúdio. A ideia do projeto é criar um marco, que vem de um lugar que ninguém esperava. Do Brasil. Da periferia. Do Sabotage.

Toda a construção da nova música foi acompanhada pela família do Sabotage, para validar o que eles acreditavam ser realmente uma criação genuína, uma parte do pensamento do rapper. “Meu pai sempre foi reconhecido na música como um inovador e deu para sentir ele aqui de novo, inovando” conta Tamires, filha do Sabotage.

Durante todo o processo de criação, um documentário foi filmado e estará disponível em breve na página de Facebook do Spotify no Brasil. A música está disponível acima e abaixo você confere o trailer desse processo:

 

Comentários

comentários