Cobrança do pedágio pode ser antecipada na BR-163 em MS

Trecho entre Dourados e Caarapó está com as obras adiantadas e podem ter a cobrança do pedágio antecipada para setembro. (Foto: Hedio Fazan)

A CCR Vias, empresa responsável pelas obras de duplicação da BR-163 em Mato Grosso do Sul, pode antecipar para mais de um mês a cobrança do pedágio. Isto porque, segundo a concessionária, a meta contratualizada de concluir 10% das obras de duplicação será atingida ainda este mês de agosto, já que os trabalhos estariam adiantados. A previsão anterior era de cumprir a meta, que representa 84 quilômetros de extensão, em outubro.

No último domingo (09) foi entregue o primeiro trecho de duplicação, com 6,68 quilômetros de extensão, na região de Jaraguari. Os demais trechos de duplicações que estão em andamento serão entregues sucessivamente, à medida que as obras forem concluídas e os trechos forem aprovados pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres).

Em relação aos valores das tarifas, elas serão definidas pela ANTT depois da aprovação das obras, reajustando os valores de contrato pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). Os valores sofrerão, ainda, ajustes em função de mudanças nas condições do contrato, como a isenção da cobrança dos eixos suspensos dos veículos, por exemplo, definida pela chamada lei dos Caminhoneiros.

A partir da publicação da liberação da cobrança e dos valores das tarifas no Diário Oficial da União, a CCR MSVia realizará 10 dias de operação assistida, quando os usuários passarão pelas pistas de cobrança, parando nas cabines sem pagar, de maneira a acostumarem com o processo. A partir do 11º dia desta operação, a empresa começa a cobrar o pedágio.

Com 847,2 quilômetros de extensão, o projeto de duplicação da BR-163 cortará o Estado de Mato Grosso do Sul, atingindo 19 cidades e uma população de mais de 1,3 milhões. Nesta primeira etapa estão sendo duplicados os trechos entre o quilômetro 192 ao 203 em Caarapó, em Jaraguari – do quilômetro 513,3 ao 519, em Bandeirantes e Camapuã – do quilômetro 580,3 ao 591, em São Gabriel do Oeste/Bandeirantes/Camapuã – do quilômetro 595 ao 602, em São Gabriel do Oeste – do quilômetro 630,3 ao 648,7; Rio Verde de Mato Grosso – do quilômetro 651,8 ao 656,2; Rio Verde de Mato Grosso – do quilômetro 694,9 ao 699,5 e Sonora – do quilômetro 824,5 ao 832.

Pedágio
Apesar de sofrerem reajustes, os valores médios apontados pela empresa em 2013 seriam de R$ 4,38 por eixo. Cada pedágio teria uma distância de 100 quilômetros entre eles. Os pontos de instalação do pedágio são: Mundo Novo (R$ 3,50), Itaquiraí/Naviraí (R$ 4,80), Caarapó (R$ 4,80), Rio Brilhante (R$ 4,90), Campo Grande (R$ 5,40), Bandeirantes/Rochedo/Jaraguari (R$ 4,20), São Gabriel/Camapuã (R$ 4,10), Rio Verde (R$ 5,30) e Pedro Gomes/Sonora (R$ 4).

Seguindo esse cálculo, com a privatização, o motorista que atravessar a rodovia de norte a sul do estado em carro de passeio pagará R$ 41 somando valores dos nove postos de cobrança que serão instalados. Os custos para um caminhão de dois eixos percorrer toda a rodovia no estado é de R$ 82.

O investimento total da empresa no período de concessão será de R$ 5,5 bilhões.

Fonte: Valéria Araújo – Dourados Agora

Comentários

comentários