Chefe do MPE afirma que Coffee Break termina em março

O Procurador-geral de Justiça Humberto Brittes afirmou nesta quarta-feira (24) durante visita à Assembleia Legislativa, onde foi entregar pessoalmente projeto sobre eleições do procurador do MPE., anunciou para o final de março o encerramento da Operação Coffee Breack e na primeira quinzena de abril a conclusão dos trabalhos e anúncio dos encaminhamentos da decisões sobre possíveis indiciamentos dos denunciados.

Humberto Brites, chefe do MPE
Humberto Brites, chefe do MPE

Brites ressaltou que haverá prisões na operação “somente em casos extremos, já que todos os investigados tem residência fixa, são réus primários, e prender não é o objetivo. Prender é algo muito extremo, informou.

O chefe do MPE prevê que nas próximas semanas podem ainda ser colhidos novos depoimentos e realizadas diligências para a coleta de mais provas dependendo das necessidades dos promotores que integram a Força Tarefa. “Estramos com um volume muito grande provas que foram coletadas e precisam ser investigadas para que possam compor o inquérito para ser encaminhado à Justiça e isso requer muito cuidado”.

Para o Procurador-geral de Justiça o mais importante é a conclusão dos trabalhos com a produção de provas que justifiquem os pedidos a serem encaminhado pelos promotores., descartando qualquer animosidade entre os promotores e o Tribunal de Justiça sendo que as recentes reclamações de que os pedidos de prisões encaminhados pelos promotores não estão sendo concedidos não significa que exista uma divergência. “São situações pontuais que não representam que haja um conflito entre o TJ e o Ministério Público estadual”, afirmou Humberto Brites.

Comentários

comentários