Chefão do tráfico ostentava com festas em chácara avaliada em mais de R$ 1 milhão

Apontado pelo MPE (Ministério Público Estadual) como chefe de um esquema que movimentou mais de R$ 14 milhões com o tráfico de drogas, Wilton Leite da Costa, o ‘Vila Vargas’, levava uma vida de ostentação. De acordo com o órgão, ele morava num sítio avaliado em mais de R$ 1 milhão, entre os municípios de Dourados e Itaporã.

Chácara onde Wilton morava, entre Dourados e Itaporã - Foto: Divulgação/MPE
Chácara onde Wilton morava, entre Dourados e Itaporã – Foto: Divulgação/MPE

Estruturado com piscina em formato de “J” e amplo espaço com churrasqueira, área de descanso e um mini palco com gravuras de cavalos pintadas na parede, Wilton e seu grupo realizavam festas que atravessavam dias.

No local, conforme apontam as investigações, o acusado recebia várias pessoas ligadas aos atos ilícitos.

RÉDEA CURTA

De acordo com o MPE, Wilton era o chefe do esquema que rendia por ano, em torno de R$ 14 milhões com o tráfico de drogas. A cocaína era transportada em compartimentos ocultos, previamente preparados nos painéis de veículos.

Ele comprava e vendia os entorpecentes, pessoalmente, acertando com os compradores dos Estados de São Paulo e do Paraná, dos quais recebia pagamentos em espécie, em veículos e também em valores depositados em contas bancárias de terceiros.

Para a comercialização dos carros, ele contava com o auxílio de garagens de Dourados e de Ponta Porã. Ainda conforme as investigações, para a lavagem do dinheiro proveniente do tráfico de drogas, sua única fonte de renda, Wilton Leite da Costa possuía diversas empresas, todas em nomes de laranjas, os quais também forneciam suas contas bancárias para o fluxo de dinheiro do tráfico de drogas.

Durante as investigações que duraram aproximadamente um ano e meio, foram presos em flagrante de 21 pessoas por tráfico de drogas, com a apreensão de 243,2 kg de cocaína, 1.365,9 kg de maconha, 4.112 kg de crack e 1.015 kg de haxixe. Além disso, a organização criminosa comandada por Wilton comercializava, mensalmente, em torno de 20 kg de cocaína pura.

Foto: Divulgação/MPE
Foto: Divulgação/MPE

Presos dentro da Operação Rédea Curta, Wilton Leite da Costa, Marcos Oliveira dos Santos, Alyson Spessoto de Souza, Ailton de Cássio Oliveira dos Santos, Allan Yuri Arakaki de Souza, Bruno Henrique Duarte e Rogério Esterque da Silva, estão nas celas do 1º Distrito Policial de Dourados.

Ainda conforme o MPE, outra pessoa presa, identificado como Gustavo Belmont da Silveira, seria um dos homens de confiança, responsável pela logística do transporte de cocaína e recrutamento de pessoas.

Com Informações Dourados News

Comentários

comentários