Chefão do PCC foi preso ao se encontrar com acompanhante de luxo no Brasil

Everton Alexandre Forcel, conhecido como “Velhote” e “Pinguim”, 39 anos, preso nesta segunda-feira em Mato Grosso do Sul e apontado como um dos chefes nacionais da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), mantinha uma prostituta de luxo numa casa na periferia de Ponta Porã, a 323 quilômetros de Campo Grande.

Ivanir cuidava da droga armanezada  (Foto: Divulgação DOF)
Ivanir cuidava da droga armazenada(Foto: Divulgação DOF)

Ivani Esquiavel Ferreira, de 32 anos, foi presa por agentes do Departamento de Operações de Fronteira (DOF) junto com Pinguim, e autuada pelo Delegacia de Fronteira (Defron) por associação ao tráfico.

Segundo informações do DOF, a jovem era contratada de Everton como prostituta de luxo e recebia R$ 3 mil por semana por seus serviços, ou seja R$ 12 mil por mês e, ainda havia “ganhado” de seu contratante um veículo VW Saveiro, que também foi apreendido na operação.

PRISÃO

Pinguim que seria um dos líderes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) e agia na fronteira entre Paraguai e Mato Grosso do Sul foi preso e cerca de duas toneladas de maconha apreendidas, ontem (21), por policiais do Departamento de Operações de Fronteira (DOF), na cidade de Ponta Porã.

De acordo com o DOF, Everton Forcel era um forte distribuidor de maconha da fronteira com o Paraguai e exercia papel de liderança na organização criminosa originada em cadeias paulistas, mas que atualmente está presente em presídios de todo o país.

Natural de São José do Rio Preto, Forcel passou por 48 presídios brasileiros até se instalar em Pedro Juan Caballero e assumir o comando do braço do PCC voltado para o tráfico de drogas. Contra ele existia um mandado de prisão por tráfico, expedido pela comarca de Rio Preto.

Comentários

comentários