Chama o socorro! Brasil atropela no Mineirão, faz 3×0 com brilho de Tite e Argentina apagada

Dois anos, quatro meses e dois dias depois do fatídico 7 a 1 contra a Alemanha, a seleção brasileira voltou a pisar no Mineirão. E nem sequer passou perto de dar sopa ao azar. O time de Tite ignorou a “maldição germânica”, passou por cima da Argentina no primeiro tempo, venceu por 3 a 0 e ficou mais perto de garantir vaga na próxima Copa do Mundo.

Chama a ambulância porque atropelamos a Argentina (ESPN)
Chama a ambulância porque atropelamos a Argentina (ESPN)

O resultado positivo diante do arquirrival levou o time canarinho aos 24 pontos, ainda na liderança isolada das Eliminatórias Sul-Americanas. A Argentina, primeiro time fora da zona de classificação, ocupa o sexto posto com 16 pontos, oito a menos que o Brasil. A sete rodadas do fim da seletiva.

O torcedor pegou a seleção brasileira no colo, embalou, ninou e dormiu abraçado a ela. Gritou o nome de seu craque, de seu técnico, lembrou os mil gols de Pelé, que rima com olé, e riu dos argentinos após um acachapante 3×0, em que as superioridades mental e física chamaram mais atenção do que a técnica. A Argentina teve mais a bola no primeiro tempo, teve Messi participativo, mas longe da área, só que um Brasil extremamente bem resolvido, e ciente de suas qualidades e defeitos, explodiu no talento de Coutinho, Neymar (seu 50º gol pela Seleção) e Paulinho, autores dos gols com assistências de Gabriel Jesus e Renato Augusto. O Mineirão, dois anos após o desastre, deixou transbordar orgulho por uma equipe que, enfim, devolve prazer ao brasileiro.

O primeiro tempo da seleção foi primoroso. Primeiro, Neymar deu linda bola para Philippe Coutinho puxar para o meio e marcar um belo gol. Depois, Gabriel Jesus lançou o camisa 10 na medida, e Neymar só teve o trabalho de tocar na saída do goleiro. O astro brasileiro ainda deu um chute na trave antes do fim.

Na etapa complementar, mais Brasil. Mascherano salvou bola em cima da linha de Paulinho, que não deixou barato e, minutos depois, fez o terceiro. Espantando para longe o fantasma do 7 a 1 do Mineirão!

Foi o quinto triunfo consecutivo de Tite desde que assumiu a seleção. Os 100% de aproveitamento tiraram o Brasil da sexta colocação, recuperaram o respeito da camisa verde e amarela e alcançaram o topo da tabela de classificação.

De quebra, o treinador ainda deu padrão de jogo à equipe e vem devolvendo a alegria do torcedor brasileiro, que tem aplaudido o treinador de forma efusiva durante a divulgação das escalações antes dos jogos. E também durante: após o terceiro gol, ouviu o Mineirão entoar, em coro, seu nome: “Olê, olê, olê, olê… Tite, Tite”.

O Brasil de Tite volta a campo na próxima quarta-feira, contra o Peru, em Lima. A Argentina enfrenta a Colômbia na terça, em San Juan.

DEU SUSTO NO COMEÇO

O Brasil começou bem, trocando passes e com a posse de bola. Mesmo assim, a primeira grande chance, apesar do domínio inicial canarinho, foi da Argentina.

Messi recebeu na bandeira de escanteio e achou muito bem Biglia na entrada da área. O volante ajeitou e soltou a bomba, e Alisson fez uma defesa espetacular. Na sobra, Di María tentou finalizar, mas não conseguiu.

Na sequência, a resposta do Brasil veio com gol. Neymar puxou pela direita e deu passe milimétrico para Philippe Coutinho, que puxou para o meio e bateu colocado, marcando um belo tento e abrindo o placar no Mineirão.

MORREU NO FIM

A Argentina tentou reagir, mas a seleção brasileira estava bem montada por Tite. Compacta, praticamente não era ameaçada. A melhor chance foi em passe de Di Maria para Emanuel Mas pela esquerda, em chute cruzado que passou na frente de Alison.

Não foi dessa vez (ESPN)
Não foi dessa vez (ESPN)

Inspirado, Neymar puxou contra-ataque aos 37 minutos. Levou desde o meio de campo, passou por dois marcadores dentro da área e mandou na trave. O Mineirão, empolgado, aplaudia a seleção.

Aos 44 minutos, o gol que não saiu na jogada anterior. Gabriel Jesus buscou pelo meio, puxou a marcação e deu um tapa para Neymar do lado esquerdo. O camisa 11 invadiu a área, tocou na saída do goleiro e foi para o abraço: 2 a 0.

Na etapa final, o domínio canarinho continuou. E, logo no começo, quase o terceiro gol. Paulinho recebeu de Gabriel Jesus, passou meio sem querer por Zabaleta, driblou Romero e chutou, mas Mascherano apareceu para salvar a Argentina em cima da linha.

Di Maria respondeu segundos tempos, finalizando na rede do lado de fora e assustando o Mineirão.

E o jogo não parou. Novamente no ataque, o Brasil viu Renato Augusto aproveitar bola perdida pela direita e tocar para o meio da área. Paulinho, esperto, chegou chutando, surpreendendo a zaga argentina e ampliando o placar.

O Mineirão explodiu: ‘O campeão voltou’, entoaram as arquibancadas. Enquanto a seleção, empolgada, criou ainda mais chances, mas não completou por azar. Aos 20 minutos do segundo tempo, os gritos de “Olé”. Que permaneceram até o fim. Espantando o fantasma do 7 a 1 para longe do Mineirão…

tabela-brasil

FICHA TÉCNICA:
BRASIL 3 X 0 ARGENTINA

Local: Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 10 de novembro de 2016 (Quinta-feira)
Horário: 21h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Julio Bascuñan (Chile)
Assistentes: Christian Schiemann (Chile) e Marcelo Barraza (Chile)
Cartões amarelos: BRASIL:Fernandinho, Marcelo.ARGENTINA: Funes Mori, Otamendi, Lucas Biglia.
Público: 53.490 total.
Renda: R$ 12.726.250,00.
GOLS: BRASIL: Philippe Coutinho, aos 24, e Neymar, aos 45 minutos do 1T. Paulinho, aos 13 minutos do 2T

BRASIL: Alisson, Daniel Alves, Marquinhos, Miranda (Thiago Silva) e Marcelo; Fernandinho, Paulinho, Renato Augusto, Neymar e Philippe Coutinho (Douglas Costa); Gabriel Jesus (Firmino). Técnico: Tite

ARGENTINA: Sergio Romero, Pablo Zabaleta, Nicolás Otamendi, Funes Mori e Emmanuel Más; Javier Mascherano, Enzo Peréz (Sergio Agüero), Lucas Biglia e Angel Dí Maria (Correa); Lionel Messi e Gonzalo Higuaín. Técnico: Edgardo Bauza

Comentários

comentários