Cesta básica teve aumento discreto e chega a custar R$ 430 na Capital

Cesta básica ficou 0,38% mais cara no mês de julho em Campo Grande. Para comprar os 13 itens que compõe a cesta, trabalhador precisou desembolsas R$ 430,37, valor superior em R$ 1,64 ao registrado em junho.

Feijão continua entre os itens mais caros da cesta básica
Feijão continua entre os itens mais caros da cesta básica

Dados são do Dieese (Departamento Intersidical de Estatística e Estudos Socioeconômicos),

Mesmo com aumento discreto, a cesta da Capital foi a nona mais cara do país.

Leite e feijão carioquinha lideraram itens em alta e contribuíram para a manutenção dos preços em elevação, com variação de 17,46% e 13,16%, respectivamente.

Também tiveram alta nos preços a banana (8,03%), arroz (7,52), açúcar (6,64%), pão (6,41), manteiga (4,39%) e café (1,03%).

Queda significativa foi observada nos preços do tomate (- 25,86) e batata (- 21,26%). Óleo (- 2,42%), farinha (- 0,73%) e carne (- 0,70%) também tiveram deflação.

Para comprar o conjunto de alimentos que compõe a cesta, trabalhador precisou comprometer 53,16% do salário mínimo.

Com relação a cesta básica familiar, preço ficou em R$ 1.291,11 em julho, aumento de R$ 4,92 em comparação com o mês anterior.

Comentários

comentários