Cesta básica tem alta de 4,62% em Campo Grande

Custo da cesta básica de Campo Grande teve um aumento de 4,62% em maio, segundo o Departamento Interestadual de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Os principais vilões foram o tomate, banana-nanica e açúcar.

Tomate foi um dos vilões Foto Divulgação
Tomate foi um dos vilões Foto Divulgação

Com o custo total de R$ 363,54, os 13 itens tiveram aumento de R$ 16,06 em relação à cesta de abril (R$ 347,48). Em comparação ao mesmo período do ano passado, o custo ficou R$ 39,70 mais caro. De janeiro a maio deste ano, a variação da cesta básica já acumulou 17,91%.

Conforme o Dieese, o produto com maior variação foi o tomate com 16,34%, seguido pela banana-nanica, com 6,48%, e o açúcar que registrou variação de 4,43%. Entre os produtos que sofreram queda estão feijão (- 3,48%), arroz (- 1,75%) e café (- 1,43%).

Das 18 capitais pesquisadas, Campo Grande tem a 8ª cesta básica mais cara. Conforme o levantamento, a cesta básica custou para o trabalhador 101 horas e 30 minutos de trabalho.

Família

A queda de somente três dos 13 itens fez com que a Cesta Básica Familiar custasse R$ 1.090,62 para os trabalhadores campo-grandenses. Este custo para prover uma família, composta de dois adultos e duas crianças, representa 1,38 vezes o salário mínimo bruto.

Em comparação ao mês anterior, quando a cesta custou R$ 1.042,44, houve um aumento de R$ 48,18. Em 12 meses, o custo entre as cestas apresenta uma diferença de R$ 119,10. No ano, a diferença é de R$ 101,88.

Comentários

comentários