Casa de acolhimento para dependentes químicos na Capital tem foco na população de rua

Com o início das atividades no último dia 17, a Unidade de Acolhimento Adulto “Pro Dia Nascer Feliz”, dá prioridade ao resgate dos vínculos familiares de seus pacientes. No momento cinco pessoas são atendidas no local, que tem capacidade para quatorze..

A unidade atende pacientes que já estão em tratamento pelo serviço da Caps-AD (Centro de Atendimento Psicossocial – Álcool e Drogas). Os pacientes poderão ficar na casa por seis meses de forma voluntária sendo responsáveis pela manutenção da limpeza e preparo de suas refeições.

De acordo com o secretário de Saúde, Jamal Salem, muitos pacientes que recebem o atendimento médico na Caps-AD, não tem para onde ir, “Muitos deles são abandonados pela família devido a gravidade do quadro, viram meninos de rua”, afirma.

A metodologia de reintegração dessas pessoas à sociedade terá duas fases segundo o secretário. A primeira visa o retorno à família e a segunda a colocação no mercado de trabalho.

Luana Campos e Paulo Francis

Comentários

comentários