Carta de despedida de advogado morto por causa de tumor no cérebro emociona na web

Diagnosticado com um tumor agressivo no cérebro, o advogado Gabriel Henrique Julião Coimbra, de 29 anos, percebeu o agravamento da doença e pediu ao pai, Paulo Coimbra, um favor especial: que ele postasse uma carta de despedida no Facebook. Na cama do hospital em Piratininga, município no interior de São Paulo, o jovem ditou para o pai o que gostaria de ter publicado em seu perfil. A carta foi escrita em 7 de junho e, seis dias dias depois, Gabriel morreu.

Gabriel Coimbra tinha um tumor no cérebro Foto: Reprodução do Facebook
Gabriel Coimbra tinha um tumor no cérebro Foto: Reprodução do Facebook

O texto foi postado na íntegra no último dia 18 e já teve mais de 1,7 mil curtidas e quase 300 compartilhamentos. Entre os comentários, pessoas que conviveram com Gabriel se mostram emocionadas. Há também os que não o conheceram e se disseram comovidos com a despedida do jovem.

No texto, o advogado lembra de quando recebeu o diagnóstico da doença, em 2009 – era um tumor Glioblastoma Multiforme IV. Na época, os médicos disseram que, com o tratamento, há casos raros em que a a pessoa vive por mais cinco anos. O jovem já convivia com o tumor havia seis anos e, segundo ele mesmo, seis meses antes de sua morte começou a perceber que a vida estava “perdendo qualidade”. Na carta, ele diz: “Hoje, domingo 07 de junho de 2015, em torno das 20.30h, começo a ter consciência do início do meu possível fim. Estou muito mais fraco e a minha visão já apresenta sinais de falência”.

A carta postada no perfil do jovem, a pedido dele

A carta postada no perfil do jovem, a pedido dele Foto: Reprodução do Facebook

Desde que recebeu o diagnóstico, Gabriel havia passado por tratamentos de radioterapia, quimioterapia e seis cirurgias. Nos últimos meses, ele começou a sentir tonturas frequentes e, em 8 de maio, foi internado. O jovem havia ficado noivo no início deste ano. Na carta de despedida ele agradece a parentes, amigos, equipe médica e termina dizendo: “Sinto que sou muito amado e querido. Deus é bom. Partirei sem mágoas”.

A carta de Gabriel

“Minha doença em forma de tumor cerebral: (Glioblastoma Multiforme IV), foi diagnosticada em 2009 e, de imediato fiquei sabendo que a média de vida pós diagnóstico, estatisticamente varia de 02 a 14 meses de sobrevida sem tratamento. Mas, usando todos os recursos disponíveis, em raríssimos casos a pessoa chega aos cinco anos de sobrevida. Este ano caminho para o sexto ano, mas, nos últimos seis meses a minha vida vem perdendo qualidade.

Hoje, domingo 07 de junho de 2015, em torno das 20.30h, começo a ter consciência do início do meu possível fim. Estou muito mais fraco e a minha visão já apresenta sinais de falência. Por isto estou relatando ao meu pai e acompanhante, a minha sincera despedida, a qual deverá ser publicada na minha página pessoal no Facebook. Após a minha provável partida… (Caberá a ele fazer uma síntese do meu relato).

Em relação aos meus Pais lamento não ampará-los na velhice. Não tenho mais como demonstrar de forma prática o meu amor, mas eles são sensíveis e inteligentes saberão racionalizar.

Minha única, querida e amada irmã, vem se fortalecendo dia a dia. Amo essa menina como a minha própria vida. Meus Pais, o meu cunhado e bom amigo Adriano e o Sr. Mário darão a ela a proteção necessária.

A minha avó Mariquinha é uma grande mulher que pela sua bondade e sofrimento acaba até aliviando a minha dor. Minha avó seria uma grande Irmã de caridade.

Meu avô Patrício (Pai do meu Pai), esse é o militar mais desarmado do mundo. É uma figura incrível que com 93 sempre tenta apenas ver o lado bom da vida.

APOIO DOS MAGNÍFICOS, aqueles que mesmo precisando de ajuda pela idade… ainda ajudam e me ajudaram muito.

Tio Adalberto e Tia Terezinha REALMENTE SÃO: VERDADEIROS PROFESSORES QUE ME DERAM AMPARO NAS MINHAS ÚLTIMAS AULAS.

Tio Valter, me faz lembrar o meu querido Avô Maneco já falecido, ambos elétricos, dinâmicos e incansáveis contadores de histórias e estórias…

Tia Nilde já falecida, eu não poderia esquecer as nossas conversas, ela já quase cega enxergando o mundo através da poesia. Sua vida era o trabalho, trabalho e trabalho…

APOIO DENTRO DA FAMÍLIA

Voltei a ser criança por força da dependência.

Ganhei muitas mães: Avó Mariquinha, Tia Néia, Tia Néia de Uru, Tia Dina, Prima Juliana e Prima Jéssica. Além da prima Marieli que me motivou muito com vídeos da Izabela que ainda consigo ver e, acredito que será minha última imagem nítida…

LEVO COMIGO OUTRAS LEMBRANÇAS

Tio Teco, (Esse me ensinou tudo que aprendi, dentro dos domínios de uma propriedade rural – Grande companheiro na minha infância e adolescência). Prima Miriam (sensível menina)

Tio Carlinhos, bom de conversa (O melhor motorista que conheci até hoje). Primo Júnior (Menino do bem e, muito sensível) – Primo Ricardo (Valente e bom Pai).

Maria Paula – Minha querida prima e sobrinha de coração, continue a ser essa boa menina que você é.

Tio André, Seu José e, Dona Sebastiana de URU, agradeço a boa FÉ, faltou mais tempo, mas, sobrou carinho.

MINHAS POUCAS NAMORADAS

Amei a todas, não sei “ficar” e quando apenas fiquei…Fiquei amigo…

Todas as minhas poucas namoradas vieram me visitar e declararam uma eterna amizade…

Minha atual noiva Andréa, meu atual amor que poderia ser o definitivo é bonita, muito charmosa, mas, não teve “sorte”…chegou para sofrer…merecia mais atenção…Não consigo mais enxergá-la , mas sua imagem ficou comigo congelada…Sei que sou correspondido nesse amor.

Minha frustração em não ter um filho é muito grande…

Todos os meus amigos e seus familiares são muitos, não tenho como citar a todos, meus agradecimentos.

A todos os meus familiares que atenuaram meu sofrimento, com orações e visitas o meu amor e gratidão.

Agradeço a todos os profissionais de saúde que cuidaram de mim, mas vou citar aqueles que diretamente estavam ligados a minha dor.

APOIO RELIGIOSO

Dom Caetano Ferrari – Bispo da Diocese e Bauru – Tivemos a honra de recebê-lo em casa.

Padre Toninho de Reginópolis SP – Tivemos a honra de recebê-lo em casa, além de muitas mensagens de FÉ enviadas por esse bondoso sacerdote.

Padre José Antônio – Dourado SP – Fomos recebidos em Dourado de forma comovente pelo iluminado Padre.

Irmãs do Mosteiro da Imaculada Conceição e São José em Piratininga.

Pastor Rogério Sanches – Tivemos a honra de recebê-lo em casa além outras visitas no Hospital da Unimed

Pastor Gilberto Damasceno e esposa Eliana – Tivemos a honra de recebê-lo em casa além de outras visitas.

Pastor Marcos que várias vezes me visitou.

A todos os grupos de orações de Piratininga, Bauru, Herculândia, familiares de Duartina e Uru.

MÁGOA, NUNCA CONSEGUI GUARDÁ-LAS

O meu agradecimento seria até mais longo, mas, sinto que a minha vida será breve. A vida é maravilhosa, sempre procurei amar a todos, gostar das pequenas coisas e ser feliz. Sinto que sou muito amado e querido. DEUS É BOM…Partirei sem mágoas…”

EXTRA

Comentários

comentários