Caravana da Saúde retorna para mais 5 mil no Hospital Regional

Foot: Divulgação/ Assessoria
Foot: Divulgação/ Assessoria

A Caravana da Saúde iniciou nesta segunda-feira (6) a segunda etapa da ação, que agora terá os atendimentos no Hospital Regional, em Campo Grande. O projeto que após 10 ações no interior de Mato Grosso do Sul, chegou a Capital com novos atendimentos, obteve muita procura pela população local e de outros 15 municípios próximos, gerando grande demanda surgida no decorrer da ação. O novo espaço foi necessário para dar continuidade aos procedimentos médicos oferecidos à população, que ficou por 20 dias em serviços realizados no centro de eventos Albano Franco. A Caravana terá pelo menos, mais duas semanas de atendimentos, para zerar ou se aproximar do fim das filas de muitas especialidades, onde se espera atingir mais 5 mil consultas e fechar os 110 mil atendimentos, entre exames e cirurgias eletivas.

O secretário de Estado de Saúde, Nelson Tavares, fiscalizando a reabertura da Caravana na amanhã de hoje, apontou que o governo viu que se superou as expectativas e a demanda foi muito além do que se previa ou se havia pensado em uma programação para atender a Capital e micro região.

 

“Por determinação do governador, avaliamos que não tínhamos que continuar e cumprir com a quase totalidade do havíamos levantado e que se era registrado ‘oficialmente’. Mas, os serviços foram um sucesso e a demanda que já era grande, por si se expandiu com a busca do atendimento oferecido de forma rápida e sem burocracia. Continuaremos com área oftalmológica em atendimento máximo e na demanda espontânea, que quem procurar vai ter atendimento, pois até não necessita ser regulada, encaminhada por presquisão medica especifica, como as demais especialidades”, informou Tavares.

O titular da SES (Secretaria Estadual de Saúde) explicou que a estrutura continua, um pouco menor, mas que além das demandas oftalmológicas (consultas, exames e cirurgias), serão realizados exames de colonoscopia, endoscopia, eletroneuromiografia e ultrassonografia, nestes casos oferecidos a pacientes que aguardam na fila do Sisreg (Sistema Nacional de Regulação).

“A oftalmologia continuará atendendo demanda espontânea, e a expectativa é que 5 mil pessoas a mais sejam atendidas no Hospital Regional, somente no setor oftalmológico. Outros exames, previstos na Caravana, também serão realizados em outros locais. O nosso objetivo era acabar com fila, vamos chegar muito perto, pois a demanda represada que era grande, ficou enorme. Assim muito coisa, especialidades, até por tempo, estrutura e forma de tratamento leva mais prazo e requer mais coisas”, explicou o secretário.

Comentários

comentários