Caravana da Saúde é confirmada para maio na Capital

Vereador Edil Albuquerque durante seção na Câmara ocorrida nesta terça-feira(19).
Vereador Edil Albuquerque durante seção na Câmara ocorrida nesta terça-feira(19).

O projeto Caravana da Saúde do governo do Estado, que a principio era destinado ao interior de Mato Grosso do Sul, saindo com equipamentos e equipes da Capital, agora também acontecerá em Campo Grande. A ação acontecerá no município de 14 a 29 de maio no espaço do Pavilhão Albano Franco, tendo sido previsto 100 mil atendimentos para este período. A data foi anunciada na manhã desta terça-feira (19) na abertura da sessão ordinária da Câmara de Vereadores. O vereador Edil Albuquerque usou a palavra pela liderança do PTB, para comunicar que os parlamentares receberam pouco antes, o secretario estadual de Saúde, Nelson Tavares, que ratificou a realização do projeto na Capital e foi até o Legislativo para convidar e convocar os membros da Casa de Leis para se integrar os trabalhos.

O vereador Edil explicou o parlamento recebeu hoje o secretario de Saúde de MS, que atendeu convite para explicar e estender o convite para a Casa de Lei integrar a Caravana da Saúde. “O doutor Nelson Tavares, em consideração ao Legislativo, veio ratificar a realização do Projeto na Capital, que nos pareceu que poderia não ocorrer na cidade. Ele além de confirmar, nos deu em primeira mão, a data ou dias que irá ser feita a ação, com toda estrutura, independente do município participar ou não, onde se tem uma meta de 100 mil atendimentos. É uma ação que vai suplantar muitos problemas que não são resolvidos na Capital devido a imensa demanda e mesmo caos no sistema”, declarou Edil, que ainda revelou que a Câmara trará a Capital, o renomado medico Drauzio Varela, para contribuir na Caravana, em nome de uma das contribuições do Legislativo municipal.

Os vereadores fizeram questão de fazer o anuncio diante da eterna polemica e crise com o prefeito Alcides Bernal, que nos últimos dias diziam que a prefeitura não queria acolher a Caravana na Capital e poderia até impedi-la de acontecer. A situação de impedimento até já foi desmentida pela administração municipal, apesar de não confirmar participação efetiva da prefeitura, até porque são muitos dias para desfalcar o atendimento diária na rede municipal.

O vereador Edil ainda comentou que é de suma importância à ação para os municípios, mas que para Capital será ainda mais significativa. Por isso até será com a quantia de 15 dias ante os três de duração por onde já passou a Caravana. “A Capital requer atenção especial, por ser maior e ter maiores problemas. Por isso o secretario, o governo programou duas semanas, pois é de suma importância atender se não toda, a maior parte da demanda de cirurgias como de cataratas que estão represadas e o sistema publico e privado não consegue zerar. Dentre outros atendimentos que a Caravana proporciona concentrada em só lugar e que não existe no interior e é pouco ou não da conta na Capital”, explicou o vereador.

Vereadores criticam prefeito

O assunto rendeu ainda crtiicas ao prefeito Alcides Bernal, onde diversos vereadores apontaram que se o prefeito impedisse de alguma forma a Caravana, seria declarado uma ‘guerra’ e mesmo que seria uma extrema barbaridade. Um dos mais críticos foi Paulo Siufi (PMDB), que até chamou de fanfarrice a atuação do prefeito e do titular da Secretaria municipal de Saúde, Ivandro Fonseca. “Em tudo que eles fazem e ainda mais na área da Saúde, o prefeito e seu secretario são fanfarrões e atuação, acusações e divulgação de um trabalho que quando existe é pela metade. Inaugura o UPA e dois dias depois não tem estrutura mais no local e dizem, soltam notas bonitas dizendo ao contrario do que a população que vai lá e não tem atendimento. Quero que esses fanfarrões venham ou vão aprender como se faz diante da brilhante atuação da Secretaria estadual e desenvolvimento desse programa”, discursou Siufi.

Os vereadores Carlão (PSB), Otavio Trad e Edson shimabucuro, ambos do PTB; e doutor Curi foram a usar palavra para elogiar projeto e fazer acidas criticas a Bernal.

Comentários

comentários