Cão terapeuta alegra estudantes com distúrbio de conduta

Estudantes com distúrbio de conduta atendidos pela Escola Clínica Santa Terezinha, localizada no bairro Ipiranga, na Capital, tiveram uma manhã diferente nesta sexta-feira (20), pois receberam uma visita inusitada: a do cão terapeuta Airon, 7, da raça Golden Retriever. O animal integra o projeto social “Cão Herói, Cão Amigo – Terapia com Cães”, coordenado pelo capitão Fábio Pereira de Lima, do 6º Grupamento de Bombeiros Militar (6º GBM), em Campo Grande.

_MG_0816 copiar

Conforme o capitão a modalidade é chamada de cinoterapia, que utiliza cães para reforçar, estimular e facilitar a reabilitação e socialização integral daqueles que recebem o contato com o animal. “A ideia é utilizar o cão como terapia para ajudar no desenvolvimento de quem realmente precisa”, comenta.

_MG_0844 copiar

Vera Lúcia Dantas tem 45 anos, tem transtorno bipolar, que é uma doença psiquiátrica caracterizada por variações acentuadas do humor, com crises repetidas de depressão e mania. Mas quando cão aparece, ela é uma das primeiras a querer fazer um carinho no animal. “Eu adorei esse cachorro, ele me faz sentir tranquilidade”, falou Vera com um sorriso estampado no rosto.

_MG_0796 copiar

Para a diretora da instituição que atende aproximadamente 60 pessoas, entre crianças, jovens e adultos, psicóloga Tânia Moraes da Costa, é muito importante esse relacionamento com os animais. “É visível a alegria dos nossos alunos com a chegada do Airon. Muitos deles não conseguem se identificar com pessoas, mas com os animais se dão muito bem”, enfatizou a psicóloga, que classificou a visita de grande importância para os alunos, pois proporciona felicidade para o ambiente.

_MG_0851

Airon, além de ser um cachorro – lindo e dócil, parece mesmo uma estrela de cinema, porque chama a atenção por onde passa. “Eu quero um cachorro desses para eu cuidar e fazer carinho. Ele parece artista e alegrou o meu dia”, relatou a jovem Tainara Silva de 15 anos.

O projeto social surgiu em Corumbá há quatro anos, quando Fábio exercia a função de bombeiro, já em Campo Grande começou a ser desenvolvido no ano de 2014. Atualmente, funciona uma hora por semana na Escola Municipal Professor Mucio Teixeira Junior, na Vila Carlota, na Capital.  “Esse projeto já faz parte da lista dos trabalhos sociais desenvolvidos pelo Corpo de Bombeiros, com objetivo de atender preferencialmente escolas que trabalham com pessoas com algum tipo de deficiência e idosos”, frisou o capitão.

As escolas ou instituições que tiverem interesse em receber uma visita dos cães terapeutas deverão realizar inscrição para apreciação e agendamento, no quartel do 6º GBM, situado na Avenida Moacir do Carmo, 70, Parque dos Poderes. Mais informações pelo telefone (67) 3318-4656, das 7h30h às 13h30. Também acompanhou a visita a soldado Jéssica Quirino

Comentários

comentários