Cantor Prince morre aos 57 anos nos Estados Unidos

Cantor Prince canta em edição do 'American Idol' em 2006 (Foto: REUTERS/Chris Pizzello/Files)
Cantor Prince canta em edição do ‘American Idol’ em 2006 (Foto: REUTERS/Chris Pizzello/Files)

O cantor Prince, um dos maiores ícones pop da atualidade, foi encontrado morto hoje, aos 57 anos, nos Estados Unidos. Seu corpo foi localizado na casa onde morava, no estado norte-americano de Minnesota, nesta quinta-feira (21). A causa da morte, confirmada por uma assessora e um familiar à imprensa americana, ainda não foi informada. A morte está sendo investigada pela polícia. Uma autópsia foi agendada para esta sexta-feira (22).

“Quando agentes e a equipe médica chegaram [à casa de Prince nesta quinta-feira], eles encontraram um homem adulto desacordado no elevador. Os profissionais tentaram fazer primeiros socorros, mas não conseguiram reanimar a vítima”, diz um comunicado oficial da polícia. A equipe chegou às 9h43 e Prince foi declarado morto às 10h07, segundo a nota.

De acordo com a transcrição da chamada de emergência divulgada pela polícia, a pessoa que fez a chamada informou que o cantor já estava morto.

O ícone pop Prince, foi um dos artistas mais influentes da música pop durante seus 40 anos de carreira. Cantor, compositor, multi-instumentista e ator, ele teve o talento reconhecido com sete prêmios e 30 indicações no Grammy, um Oscar, um Globo de Ouro e quatorze músicas no top 10 da “Billboard” nos EUA.

Prince se apresenta com Beyonce durante a 46ª edição do Gremmy Awards em Los Angeles, nos EUA, em fevereiro de 2004 (Foto: Gary Hershorn/Reuters/Arquivo)
Prince com Beyonce no 46ª Gremmy Awards em Los Angeles / fevereiro de 2004 (Foto: Gary Hershorn/Reuters)

Prince tornou-se um fenômeno mundial nos anos 1980, fundamentalmente com “Purple Rain” (1984), frequentemente considerado um dos melhores álbuns de todos os tempos.
O estrondoso sucesso que ele alcançou entre 1984 e 1985, quando emplacou “When doves cry”, “Let’s go crazy”, “Purple rain” e “Kiss“, marcou sua imagem para o grande público. Mas apenas os hits não resumem sua importância para diversos gêneros musicais: funk, rock, r&B, soul, jazz, rap e outros.

Overdose há 6 dias, diz site

De acordo com o TMZ, Prince sofreu uma overdose de drogas há seis dias. Esta informação não foi confirmada pela polícia ou fontes oficiais.

O site diz ter confirmado com “diversas fontes” que, no dia 15 de abril, quando sua aeronave fez um pouso de emergência em Molline, Illionis, ele foi levado para o hospital para ser salvo da overdose. A informação divulgada até então é que ele tratava dos sintomas de uma gripe.

Segundo o TMZ, ele tomou uma injeção usada geralmente para evitar overdose de opiácios. O médico teria recomendado que ele ficasse durante ao menos 24h internado. A equipe teria exigido um quarto privado, mas como isso não foi possível, ele decidiu sair do hospital.

Família de músicos

Prince Rodgers Nelson nasceu e morreu em Minnesota, nos EUA. Prince era filho de músicos. Seu pai usava o nome artístico de Prince Rodgers, o que inspirou seu nome de batismo. No lar musical começou seu interesse por canções, junto com a irmã Tika. No começo dos anos 70 ele já começou a participar de bandas.

Seus primeiros discos foram lançados no final da década de 1970, com algum destaque, mas foi só em 1982, com o álbum e a faixa homônima “1999” que ele conseguiu o seu primeiro grande sucesso. Foram mais de trinta álbuns de estúdio, quatro deles lançados em 2014 e 2015: “Plectumelectrum”, “Art oficial age,” “HITnRUN Phase One” e “HITnRUN Phase Two”.

Não foi apenas na música que Prince foi uma figura excepcional. Com 1,58m de altura, também se destacou pelo visual único e pelas opiniões fortes quanto à indústria do entretenimento.

‘Símbolo do amor’

em novembro de 2015 mostra o músico Prince durante o American Music Awards no Microsoft Theater, em Los Angeles, nos EUA (Foto: Kevin Winter/Getty Images/AFP)
Em novembro de 2015, o músico Prince durante o American Music Awards no Microsoft Theater, em Los Angeles-EUA (Foto: Kevin Winter/Getty/AFP)

O cantor e compositor chamou a atenção quando mudou, nos anos 1990, seu nome para um “símbolo de amor” e escreveu a palavra “escravo” em sua bochecha para protestar contra as condições contratuais do selo Warner.

Ele havia feito recentemente shows em Paisley Park, onde morava, e na Austrália, onde se apresentou somente com um piano, afirmando que desejava um novo desafio artístico.
O cantor se casou duas vezes. O primeiro casamento foi com a dançarina Mayte Garcia, de quem se separou em 2000. A segunda esposa foi Manuela Testolini, de quem se divorciou em 2006.

Briga contra streaming

Em julho de 2015, Prince solicitou a retirada de seu catálogo de músicas de várias plataformas na internet, exceto o Tidal, gerenciado por Jay Z. Ele estava lançando o primeiro de dois volumes do álbum “HitNRun”.

“Se isso é o que se sente com a liberdade, ‘HitNRun’ é como soa (a liberdade)”, comentou no comunicado enviado à imprensa, no qual informou ainda que levou 90 dias para fazer “HitNRun”.

Rock in Rio 1991

Em 1991, ele fez sua única apresentação no Brasil, no Rock in Rio, no Maracanã. “Poucas horas antes de aparecer no local do show o baixinho exigiu que todo o seu camarim estivesse iluminado pela cor púrpura (“Purple Rain”, sacou?). Ele ainda pediu máscara de oxigênio e um piano branco de cauda na suíte de seu hotel”, diz o site oficial do Rock in Rio. (com portal G1).

 

Comentários

comentários