Caminhoneiros de Mato Grosso do Sul aderem à greve nacional

Caminhoneiros, grupos de movimentos populares e empresários se reuniram no fim da tarde desta quinta-no auditório da ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre) em Brasília (DF),. para discutir sobre a greve do setor. Os caminhoneiros buscavam a aprovação de uma tabela de frete mínimo, o que não ocorreu.

A paralisação será na BR-262 e BR-163 em Campo Grande, além das cidades de Dourados, Naviraí, Maracaju, Sidrolândia e Ponta Porã.
A paralisação será na BR-262 e BR-163 em Campo Grande, além das cidades de Dourados, Naviraí, Maracaju, Sidrolândia e Ponta Porã.

A tabela buscada pelos caminhoneiros, aumentaria em torno de 30% o valor do frete praticado hoje. Eles alegam que esse valor é necessário para cobrir os gastos com o transporte e protegê-los de oscilações do mercado que, segundo eles, costumam repassar a baixa lucratividade no preço do frete.

A paralisação começa nesta sexta-feira (24) e estão participando do movimento, os caminheiros de Campo Grande, Dourados e São Gabriel do Oeste (MS).

De acordo com caminhoneiros do Estado, a paralisação será na BR-262 e BR-163 em Campo Grande, além das cidades de Dourados, Naviraí, Maracaju, Sidrolândia e Ponta Porã.

Inicialmente a greve iria ocorrer somente nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Ceará.

Comentários

comentários