Câmara instaura CPI para investigar sumiço de vacinas da gripe na Capital

Mesa diretora de hoje, que anunciou a criação da CPI
Mesa diretora de hoje, que anunciou a criação da CPI

A Câmara de Vereadores de Campo Grande instaurou nesta terça-feira (7), a CPI da Vacina, que visa investigar o possível sumiço de vacinas contra a gripe nos postos de Saúde da Capital. A Comissão Parlamentar de Inquérito ,terá membros definidos hoje e sua oficialização final será publicada amanhã no Diário Oficial. Como Página Brazil noticiou, após semanas de denúncias do caso, a Comissão foi requerida na última quarta-feira (1º), pelo vereador Marcos Alex (PT), contando ainda com assinatura de mais 14 parlamentares. Segundo o petista, a pretensão é além de investigar realmente, quantas doses do medicamento desapareceram ou se foram aplicadas em pessoas fora das recomendações da Saúde Pública, bem como se houve um real desvio e apropriação indébita.

A Procuradoria jurídica da Casa de Lei e a Mesa Diretora emitiram pareceres favoráveis a abertura da CPI da Vacina, seguindo como segundo passo após seu requerimento, e em outra fase nesta tarde, uma reunião será realizada com os vereadores para definir os cinco membros da Comissão e a portaria com os nomes deve ser divulgada nesta quarta-feira (8). “A mesa avaliou como pertinente o objetivo da CPI e a Procuradoria avaliou de extrema importância a investigação, como já avaliávamos. Até porque há que se saber o que realmente ocorreu, pois se fala em 32 mil, depois em 3 mil, e de que modo isto mesmo aconteceu. Foi privilegiado grupos, houve erros em distribuição ou menos doses como apontado pela Sesau. Temos que ver isto porque é caso de Saúde Pública”, disse Alex.

O vereador, que também é pré-candidato a Prefeitura da Capital, disse que pretende buscar ser o presidente da CPI, fazendo trabalho parlamentar, independente da época e que “não vai para arrumar culpados” e sim esclarecer o caso e arrumar a casa para não ocorrer o erro novamente. “Contudo, não vai ser possível ter e encerrar a CPI sem responsabilizar os agentes públicos por conta de um possível trabalho em desvio de finalidade, que contribuiu com alguns ante não chegar a toda a população. Para começo, existe contradição na tentativa de justificar esse desparecimento, quanto a quantia e fatos. Mas, independente da quantidade precisamos saber o que aconteceu”, afirmou.

De acordo com o parlamentar, o colegiado tem que decidir, mas para dar exemplo, ele já apresentará sua intenção de convocar primeiramente, o Instituto Butantã, fornecedora das vacinas, para saber de inicio e de forma técnica sobre pelo menos quatro dados. “Quero que eles, com sua condição técnica, venham e exponham para nós: se houve esse ‘sumiço’ em outros municípios, com analise oficiais sobre o que já foi dito por aqui e que eles também já externaram na imprensa; do número exato de vacinas fornecidas para a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde); documentos oficial de lote, quantia, como foi a distribuição e comprovação do volume de cada tose; e se há algo cientifico no modo de preparo, manuseio e aplicação das doses, que podem ter sido errados”, detalhou Alex em primeiro ato da CPI.

Erro ou privilégio

Alex apontou, que será verificado, apesar de ser valoroso para quem recebeu a vacina, se também pessoas fora do grupo de risco conseguiram ser vacinadas, em detrimento das que não conseguiram a imunização. “Não vou levar em consideração números da prefeitura, até porque agora não devemos querer só números, apesar que qualquer um é grande, se 3, 10 ou 32 mil. São versões, que vão ter que provar também, se houve erro ao trabalhar in loco ou de certa forma má fé, apesar de alguém ter recebido o remédio e se proteger. Mas, que causou possível prejuízo a outros cidadãos necessitado e mesmo aos cofre públicos, com desperdício e pela falta em gastos com mais produto”, apontou.

O petista argumenta que, os vereadores também precisam acompanhar os motivos que levaram à falta de vacinas nos postos da Capital, apesar do Ministério Público Estadual já ter também feito investigações a mais tempo e foi informado do problema, bem como a própria prefeitura ter instalado uma Comissão investigatória.

Comentários

comentários