Câmara derruba veto e taxa de iluminação pode ser suspensa

A Câmara Municipal de Campo Grande derrubou o veto do prefeito Alcides Berna (PP) sobre o projeto que suspende a cobrança da Contribuição para o Custeio do Serviço de Iluminação Pública (Cosip) por 180 dias, na sessão desta quinta-feira (14). Também foram aprovados cinco projetos em segunda discussão.

Na prática, nada muda por enquanto na conta de energia dos usuários. A derrubada do veto seguirá para o Executivo, que já adiantou que recorrerá à Justiça.
Na prática, nada muda por enquanto na conta de energia dos usuários. A derrubada do veto seguirá para o Executivo, que já adiantou que recorrerá à Justiça.

Bernal vetou o projeto alegando o prejuízo na queda de receita. Segundo a proposta, o saldo financeiro do Cosip atualmente é de R$ 53 milhões e a despesa média com os serviços é de um R$ 1,5 milhão por mês. Diante dos números, foi considerado que o saldo é suficiente para atender por um período de 35 meses, daí a justifica para suspensão temporária.

“Portanto, não é justo continuar onerando os contribuintes num momento tão difícil para o povo brasileiro que enfrenta o retorno da inflação e do desemprego”, disse o vereador Edil Albuquerque (PTB) no projeto.

Na prática, nada muda por enquanto na conta de energia dos usuários. A derrubada do veto seguirá para o Executivo, que já adiantou que recorrerá à Justiça.

Na sessão desta quinta-feira também foram aprovados cinco projetos em segunda discussão. Um deles trata da proibição em aplicar multa por avançar o semáforo com indicação de sinal vermelho nas ruas da capital de Mato Grosso do Sul entre às 23h e 5h.

Os projetos para adotar um bicicletário, para criar os programas “parceria com faculdades e universidades”, que mantém cursos de reabilitação na área médica para tratamento de pessoas portadoras de necessidades especiais, de subsídios habitacional, sobre o ensino de combate ao Aedes aegypti aguardam apenas a sanção do prefeito para entrar em vigor.

Comentários

comentários