Buffon vê CR7 como modelo a ser seguido e elogia Daniel Alves: “Tem me motivado”

Globoesporte.com/JN

Goleiro da Juventus mostra muito respeito e evita fazer comparação de si mesmo com o craque do Real Madrid, adversário da decisão da Liga dos Campeões

Aos 39 anos, Buffon tem muita história para contar. Com inúmeras conquistas nacionais com a Juventus e a Copa do Mundo de 2006 pela seleção da Itália, o goleiro segue almejando mais na sua carreira. Neste sábado, ele tentará erguer a taça da Liga dos Campeões pela primeira vez.

Buffon diz que Daniel Alves, ao seu lado, tem o motivado desde a chegada na Juve (Foto: Getty Images)

E essa vontade de ir além vem do aprendizado com companheiros e adversários. Se a chegada do brasileiro Daniel Alves o tem motivado ainda mais, o principal jogador do Real Madrid também é, em sua opinião, um modelo a ser seguido.

– É muito possível que Cristiano seja um modelo, um modelo a se seguir por todos que gostam de futebol e de esportes em geral. Mas também se ganha dele. Com 39 anos, pensava que não teria mais o que aprender, mas o aspecto emocional, o que um companheiro pode ensinar. Muitas vezes durante esse ano aprendi muito com Dani (Alves). Me motivou muito, pessoas como ele, Cristiano Ronaldo, Messi, são capazes de ganhar muitas vezes e continuam aprendendo. Você tem que ter a modéstia de seguir aprendendo – afirmou Buffon em entrevista coletiva nesta sexta-feira, véspera da decisão da Liga dos Campeões contra o Real Madrid.

Buffon fez questão de fugir das comparações com Cristiano Ronaldo. Apesar da experiência e de ser considerado o principal jogador da Juventus, o goleiro italiano considerou que ele e o português exercem papeis bem distintos em campo e, por isso, não seria uma análise justa. Cotado como candidato a levar a Bola de Ouro, principalmente se erguer a Orelhuda após o duelo em Cardiff, o italiano crê que mais importante que o individual, é o título da Liga dos Campeões.

– Eu acho que algumas comparações servem pra motivar a fantasia de todo mundo. Não penso de forma alguma, e não tenho a coragem, de fazer uma comparação com Cristiano. Eu tenho que defender e ele atacar. Por sua capacidade, posição de jogo, tem muito mais poder de decidir um jogo. Eu preciso estar concentrado e fazer meu trabalho. A ideia da Bola de Ouro me agrada, mas é secundário para mim. Penso em só em ganhar amanhã. Nada mais me interessa – disse.

Confira outros trechos da entrevista coletiva de Buffon:

Empolgação dos fãs em Cardiff

“Sentimos e percebemos o entusiasmo dos torcedores. É um grande desafio para nós. Isso é um elemento adicional, que nos motiva. A presença de todos os torcedores vai ajudar a encontrar a energia que precisamos para lutar, contra-atacar, resistir ao poder que tem o Real Madrid”.

Ganhar a inédita Champions

Me provocaria e me provocará uma grande alegria. Ao final, quando chega a esse ponto, sabe porque chegou. E o quanto se sacrificou. É como um prêmio, uma gratificação. E dividir com toda a equipe de trabalho é especial. Quero fazer ainda mais para que a equipe chegue a esse ponto.

Comparação com a final de 2015

As sensações são muito similares. Produzem as mesmas sensações e sentimentos. Você tem que estar concentrado e com um medo moderado. Temos que ter essa arma para enfrentar essa partida da melhor maneira.

Importância de Daniel Alves

Quando soube que ele tinha sido contratado, fiquei muito contente. Ele é muito otimista como eu, pensei: vamos ver, quem sabe não nos ajuda a ganhar a Champions. Hoje, não teremos Dani só como grande jogador, mas tem uma capacidade humana. Essa confiança para esta partida é importante. Estamos jogando contra uma equipe muito importante. Não se imaginava que Juve e Real poderiam se encontrar amanhã. Quem sabe vamos mudar a história.

Keylor Navas

É uma comparação muito mais condizente. Goleiro contra goleiro. É um desafio entre iguais. Navas, para começar ganhou mais Champions que eu. É um goleiro que, desde 2014, está fazendo coisas excepcionais.

Como manter tranquilidade

Há que tentar equilibrar as emoções, pensar no que faz, no que sabe fazer. Estar sereno é o mais importante. Não tenho que sonhar só com Cristiano e Benzema, mas com todos os jogadores do Real Madrid.

Real como adversário

Não me surpreende encontrar o treinador de Real Madrid aqui. Tem pedigree. De treinador, e de jogador. Pedigree de ganhador.

Capítulo importante na carreira

Messi e Cristiano são referências. Tenho recebido apoio, mas o importante é o que jogamos, os que se dedicam ao esporte. Sabemos o que todos sentem. Tenho 39 anos, mas me sinto um garoto. Neste partida, um valor enorme, muito especial. Tenho que pensar na minha história como jogador. Recebi muito mais do que dei. Seria o final perfeito para minha carreira. As pessoas gostam de se emocionar.

Comentários

comentários