Briga na China rende suspensão de sete meses a Cuca

O retorno de Cuca ao futebol brasileiro pode ser antecipado contra sua vontade. Nesta sexta-feira, a Federação Chinesa de Futebol anunciou a suspensão do treinador do Shandong Luneng por sete meses em virtude de uma confusão generalizada na partida contra o Guizhou Renhe, ainda no dia 4 de junho.

Atual contrato de Cuca com clube será encerrado antes do seu retorno à beira do gramado
Atual contrato de Cuca com clube será encerrado antes do seu retorno à beira do gramado

Além do gancho, o técnico ainda terá que desembolsar 140 mil iuans chineses (cerca de R$ 70 mil, pela cotação atual). No gramado, o brasileiro foi agredido pelo bandeirinha Zhan Wei, que lhe desferiu um soco no rosto. Longe das câmeras, Cuca foi acusado de revidar o golpe no caminho para os vestiários.

É importante destacar que o bandeira também foi penalizado com uma suspensão de um ano. Em seguida, o auxiliar Cuquinha – irmão do treinador – agrediu Zhan Wei, recebendo nove meses de gancho. Por fim, os atletas Li Songyi e Shao Puliang ficarão afastados dos gramados por dez e quatro meses, respectivamente.

Se não houver recurso, a suspensão do comandante só terá fim no dia 5 de janeiro. Vale lembrar que Cuca tem contrato com o time chinês até dezembro deste ano, motivo que pode antecipar seu retorno ao futebol brasileiro.

Com o apoio do Shandong Luneng, Cuca já projeta a possibilidade de recorrer à Fifa. Como protesto, os torcedores do clube chinês usarão curativos no rosto e mordaças para pressionar a federação local. Seu substituto será o preparador físico Riva Carli, ex-São Paulo.

Comentários

comentários