Bolsonaro defende cadeira elétrica para lutador que matou homem a pancadas

Cerca de 200 pessoas fizeram um protesto em frente ao Comando Geral da Polícia Militar, em Campo Grande, contra a homenagem concedida ao deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ).
Bolsonaro recebeu a Medalha de Tiradentes, honraria entregue anualmente pela Polícia Militar de Mato Grosso do Sul.

O deputado não se intimidou e mais uma vez causa polêmica. Para ele o lutador de jiu-jitsu Rafael Martinelli Queiroz de 27 anos, que matou a pancadas um hóspede no último sábado (18), no hotel Vale Verde em Campo Grande, merece “cadeira elétrica” como punição pelo crime. “Sou a favor, porque aqui no Brasil a Dilma só protege traficante”, ressaltou.

Comentários

comentários