Bernal e Puccinelli não chegam a acordo e nova audiência é marcada para junho

O ex-governador André Puccinelli (PMDB) participou, na tarde de hoje (8), da primeira audiência de conciliação do processo judicial movido pelo prefeito Alcides Bernal (PP) por calúnia e injúria desde março de 2014, quando o então governador o teria chamado de “ladrão” durante agenda pública em 28 de março de 2014, em Dourados.

Sem resultados, a próxima audiência de instrução foi maracada para 23 de junho.
Sem resultados, a próxima audiência de instrução foi maracada para 23 de junho.

 

A audiência ocorreu tranquila e, como não houve acordo entre as partes, uma nova reunião, desta vez de instrução, foi marcada para o dia 23 de junho.

“Não tem acordo, dia 23 de junho tem a instrução do processo”, afirmou Bernal, ao ir embora sem dar mais detalhes. Puccinelli afirmou o mesmo e o advogado, Luís Claudio Pereira, disse que a nova data foi marcada para o andamento do processo, às 13h30, no Juizado Especial.

O processo estava no STJ (Supremo Tribunal de Justiça), pois o ex-governador era beneficiado com o foro privilegiado, mas voltou para a jurisdição das pequenas causas, por se tratar de uma ação de injúria. “Erraram em Campo Grande. A Câmara destituiu. Vão aparecer roubalheiras e mais roubalheiras lá. Não foi tirado por golpe político, não, Por ser ladrão. E tem provas”, declarou o peemedebista na ocasião.

Nesta audiência preliminar, Puccinelli poderia se retratar pedindo desculpas a Alcides Bernal, o que não aconteceu

Em conversa antes da audiência, os políticos trocaram alfinetadas e já anunciavam ânimos acirrados “Pucinelli fez o que fez se valendo do cargo que tinha e que mais que diferenças políticas, a afirmativa entra na esfera do respeito mútuo. Ele precisa aprender a respeitar as pessoas”, afirmou.

Comentários

comentários