Bernal decide pedir cassação de Durães por ofensa a sua mãe, após semana de polêmica

Bernal_maeA ofensa-crime do vereador Roberto Durães (PSC) a mãe do prefeito Alcides Bernal, que ocorreu na última terça-feira, continua a repercutir, com revoltas e pedidos de punição ao parlamentar, que ontem a noite foi engrossada pelo chefe do executivo municipal, que anunciou que irá pedir a cassação do mandato do social-cristão. Bernal, após a ofensa, onde o parlamentar afirmou conhecer sua mãe “do silêncio dos edredons”, publicou nota de repúdio na quarta-feira (4), mas não havia tomado nenhuma medida mais drástica, deixando atos por conta de apoiadores, que já fizeram uma representação junto a Câmara, que a principio já haveria sido deixada ‘de lado’, porque Durães se retratou em plenário na quinta-feira (5).

Contudo, ao ser novamente questionado sobre o assunto, Bernal na noite desta sexta-feira, na posse do novo procurador-geral do MPE (Ministério Público Estadual), Paulo Passos, afirmou que vai pedir a Câmara Municipal abertura de processo de cassação por quebra de decoro do vereador. O prefeito anunciou que irá protocolar na próxima segunda-feira (9) o pedido de processo contra Roberto Durães, que assumiu seu mandato em dezembro passado, pois era suplente da vereadora Thais Helena (PT), que foi cassada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). As trapalhadas e polêmicas do vereador, levará seu partido a avaliar a sua conduta parlamentar. A cúpula Social Cristã irá se reunir também nesta segunda-feira, conforme Página Brazil publicou ontem.

Bernal lembrou a função da Câmara e do agente público, e, de que a ‘ofensa gratuita’ vai para o crime, pois atinge a honra de uma idosa e das mulheres em geral. “A agressão feita pelo vereador é uma agressão feita contra as mulheres, contra uma idosa já até convalescente e sendo no microfone oficial da Casa de Lei. O órgão que tem um orçamento de R$ 68 milhões, para trabalhar pela defesa do interesse público, para protegerem o direito de toda a coletividade, acima de tudo das mulheres. É muito grave. A questão já seria grave, pois agride uma mãe, idosa e se torna muito grave pois foi feita por um dito representante do povo, que utilizou-se do parlamento para fazer insinuações e gestos totalmente injuriosos”, avaliou o prefeito-filho.

O prefeito ratificou e foi enfático em dizer que “a Câmara tem o dever de se pronunciar ou agir sobre esse caso. A agressão do Durães foi também contra todas as mulheres, e neste caso, indo contra o Estatuto do Idoso, criminalizando também contra uma idosa, com um comentário de maneira depreciativa. É inadmissível que um parlamentar utilize a tribuna para fazer esse tipo de comentário. A Casa tem o seu papel institucional e Constitucional de defender o direito de todos”, frisa Bernal.

O prefeito afirma também que já registrou na quinta-feira (5) um boletim de ocorrência contra Durães e espera que a Câmara aceite o pedido e cuide da situação, como ele entende, que ela precisa ser tratada.

Bernal reclama de posições de vereadores

Ontem, Bernal também reclamou da forma como a questão foi tratada por colegas de Durães na Câmara. “Após ele falar isso, o Chiquinho Telles (PSD) ainda agradeceu, como se estivesse incorporando aquilo ao seu discurso, como se não houvesse problema naquilo. O Edil [Albuquerque, PMDB] também me espantou ao repreender a Luiza Ribeiro (PPS) que pediu ordem e quis questionar a situação”.

A maneira como tudo foi conduzido fez com que Bernal acreditasse em arquitetação da situação. “Depois que o Durães pediu desculpas, o presidente [João Rocha, PSDB] também afirmou que o caso havia sido superado. Isso é espantoso”, lamenta o prefeito, indicando que agressões contra mulheres não devem ser admitidas. “Principalmente durante uma sessão parlamentar”.

O caso

Durães pode se livrar de ter mandato cassado - Foto: Lúcio Borges
Contudo, Durães pode se livrar de ter mandato cassado – Foto: Lúcio Borges

A nova polemica de Durães, ocorreu em plena sessão ordinária oficial do Legislativo na terça-feira, sendo transmitida ao vivo e que ficou gravada. No microfone oficial e, na frente das câmeras, disparou contra a idosa que está acamada por problema de saúde e que, segundo familiares, tem o hábito de assistir à TV Câmara. “Eu quero dar um recado ao prefeito. Eu conheço muito a senhora mãe dele, viu? Eu conheço demais aquela senhora mãe dele… como eu conheço, já que é uma corja, fala pra mãe dele contar pra ele quem sou eu. Ainda mais no silêncio dos edredons”, declarou Durães.

O parlamentar voltou nesta quinta-feira (5) à tribuna para pedido de retratação. Ele pediu desculpas tanto à mãe quanto ao filho, Alcides Bernal, pedindo ainda que as falas fossem retiradas da pauta da sessão. Nos dois dias após, ele voltou ao plenário para pedido oficial de desculpas. Em nota, também buscou retratação. “Venho por meio desta, retratar-me à senhora Laura, mãe do Prefeito Alcides Bernal. Em um discurso, no qual fiz referências a essa senhora de respeito, fui infeliz em tal colocação”.

O pedido foi aceito pelos vereadores, o que no entendimento do regimento interno da Casa, seria como se as falas não tivessem ocorrido. Desta forma, a Câmara descartou a possibilidade de representação contra o parlamentar, que com pouco mais de cinco meses no cargo, já provocou ou protagonizou alguns fatos ‘estranhos’, como apoiar, por exemplo, as atitudes de seu correlegionário, o deputado federal Jair Bolsonaro, como a saudação na votação do Impeachment, do torturador da presidente Dilma Rousseff.

A titular da Semmu, Leyde Pedroso, a direita.
Grupo exibe requerimento protocolado na Câmara (Foto: Lúcio Borges).

“Durães não pode ficar na Câmara após ofender não só a mãe do prefeito, mas a todas as mulheres”, disse vereadora Luíza Ribeiro (PPS) junto a grupos de mulheres, dos Direitos Humanos e servidores, que protocolaram, no fim da manhã de quinta-feira (5), a primeira representação pedindo a cassação do vereador. Naquele dia, o movimento, antes do registro oficial do pedido para retirar o mandato do parlamentar, realizou protestos no plenário e até se envolveu em confusão verbal e física, que ocorreram na Casa de Lei.

 

Comentários

comentários