Bernal afirma que novo pedido de afastamento do cargo é ‘requentado’

O prefeito Alcides Bernal comentou durante a manhã desta terça-feira (6), durante agenda pública, sobre o pedido de afastamento feito pelo MPE (Ministério Público Estadual) por meio do promotor de Justiça da 30ª Promotoria do Patrimônio Público, Alexandre Pinto Capiberibe Saldanha.

Foto:César Krugel
Foto:César Krugel

Bernal alegou que o promotor moveu ação semelhante em interesse dos vereadores e questionou se Saldanha não estaria tentado tirá-lo do cargo para colocar o presidente da Câmara Municipal Flávio César (PT do B). “O tema é requentado o caso já foi julgado pela Justiça, e inclusive, tem sentença de mérito sobre a situação”, afirmou.

Na semana passada, o MPE impetrou ação de improbidade contra o prefeito, que pode até perder o cargo novamente, pela terceira vez. Com base no rompimento do contrato feito por meio de licitação com a Total Serviços, especializada em limpeza de unidades de saúde, e a contratação emergencial (sem processo licitatório) da Mega Serv para desempenhar a mesma função, porém por valor mais elevado.

O promotor alega que neste caso a empresa que ficou em segundo lugar no pregão é a que deveria assumir, mas em vez disso foi feito contrato emergencial.

A ação tem como base relatórios assinados pelo secretário federal de Controle Interno da Controladoria-Geral da União “referente à execução financeira da atenção básica à saúde por parte da Prefeitura Municipal de Campo Grande”. No documento consta análise de itens financiados com recursos do Município entre 1º/1/2012 a 30/8/2013.

O prefeito destacou que Campo Grande necessita de tranquilidade. Bernal aproveitou para lembrar de uma declaração feita pelo governador Reinaldo Azambuja, do PSDB, ontem (5) que ‘a cidade precisa de paz’.

“Ele foi feliz na avaliação, foi muito sereno e enfático, e realmente precisamos de paz e de estabilidade na política”, declarou.

Comentários

comentários