Belfort e Rockhold aceitam revanche por título: ‘não tem por que não rolar’

Desolado. Era assim que dava para sentir Vitor Belfort após a derrota para Chris Weidman, quando seu sonho de conquistar o cinturão terminou em um nocaute sofrido em menos de três minutos de combate. Entrevista cabisbaixo, pensamentos de aposentadoria… Mas, quem diria, pouco mais de seis meses depois, o veterano de 38 anos renasceu das cinzas. Não só nocauteou Dan Henderson, como virou favorito a ter outra chance de lutar pelo título dos médios. E, como conversou com o Na Grade, já está batalhando para isso e fez lobby antes mesmo do UFC 194.

Josh Hedges/Zuffa LLC/Getty Images
Josh Hedges/Zuffa LLC/Getty Images

O triunfo contra Henderson poderia ter sido só mais um, levando a algumas lutas interessantes, mas um velho conhecido é quem levantou a bola de Belfort definitivamente: Luke Rockhold. O norte-americano nocauteou Chris Weidman, conquistou o cinturão dos médios e já tem dito que a luta mais interessante em seu horizonte é contra o brasileiro.

“Quero uma luta que faça sentido, uma luta grande, quero ser bem pago. Vitor é a grande luta para mim agora. Quero ir lá e e conseguir minha vingança contra este cara. Acredito que ele me venceu com uma vantagem desleal e quero reescrever essa história”, afirmou Rockhold, ao Three Amigos Podcast, acusando Vitor de trapaça na época em que o TRT era permitido.

Falando primeiro sobre o cenário do cinturão, o mais correto seria dar ao próximo no ranking este title shot: Yoel Romero, que venceu Ronaldo Jacaré. Mas, a vitória foi um roubo, polêmica, e enfrentar o cubano não é nada atrativo no momento. “Ele é um cara duro, mas não pareceu bem contra Jacaré. Tenho que esperar os chefes. Não acho que Weidman mereça, mas as grandes lutas agora seriam uma revanche contra Weidman ou enfrentar Vitor”, argumentou Rockhold.

Certo. Já temos Rockhold totalmente dentro da luta. E Vitor?

“A Joana [Prado] já havia pedido essa luta antes da vitória contra o Weidman acontecer, para o Dana, em caso de vitória do Rockhold. É a luta que faz sentido agora e todos querem ver. Se o Rockhold quer e eu quero, não tem porque não acontecer”, disse Belfort, ao Na Grade.

UOL

Comentários

comentários