Bancos ficam lotados no 1º dia após fim da greve

Apesar do grande número de clientes, o atendimento ocorreu normalmente nos bancos. O primeiro dia após o fim da paralisação também foi marcado pela limpeza das vidraças das agências

Consciente de que a movimentação nas agências de Campo Grande seria intensa nessa terça-feira (27), após 21 dias de greve dos bancários, a doceira Ana Lima foi a primeira cliente a chegar à Caixa Econômica Federal, no Centro. Antes das 9 horas, ela já estava no local para resolver um problema do seguro-desemprego, mesmo sabendo que o estabelecimento só abriria às 11 horas.

Bancos reabriram hoje após 21 dias de greve.
Bancos reabriram hoje após 21 dias de greve.

Na agência do Bradesco, na Barão do Rio Branco, quem também ocupou o primeiro lugar na fila, por volta das 8 horas, foi a técnica em enfermagem Érica de Oliveira. Ela ficou feliz porque os bancos voltaram às atividades. Isso porque, no dia 7 de cada mês, recebe um benefício do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

“Tive sorte. Já estava pensando nas minhas contas se a greve não tivesse terminado, porque só consigo receber o dinheiro na boca do caixa. Dependo desse benefício mensal para pagar água, luz e algumas faturas. Ainda bem que cheguei cedo e vou ser atendida logo”, observou Érica.

Agilidade

No Centro de Campo Grande, apesar do grande número de clientes, o atendimento aconteceu normalmente nas agências de bancos públicos e privados, sem nenhum tumulto. Para agilizar os serviços e evitar superlotação, algumas unidades começaram a atender os idosos por volta das 0 horas.

Limpeza

27limpezaO primeiro dia após o fim da greve dos bancários no Mato Grosso do Sul também foi marcado pela limpeza das vidraças das agências, que estavam cheias dos tradicionais cartazes “estamos em greve”. Em diversas instituições, era possível ver trabalhadores de empresas terceirizadas “ralando” para retirar os adesivos.

A proposta apresentada pela Fenaban (Federação Nacional dos Bancos ) e que os bancários aceitaram prevê reajuste salarial de 10%, benefícios e participação nos lucros, além de correção de 14% no vale-refeição e no vale-alimentação.

Comentários

comentários