Auditoria no Vale Renda vai gerar economia de R$ 17,7 milhões/ano ao Estado

A partir da próxima sexta-feira (15), os beneficiários do Programa Vale Renda serão atendidos em novo endereço, em prédio ampliado e provido de acessibilidade, na Avenida Ernesto Geisel, 6.644, Cabreúva. A transição e adequação das novas instalações vêm acontecendo desde o mês de outubro com  abertura de processo de licitação para adaptação do espaço, bem como implantação de serviços de internet; telefonia; ar condicionado e reparos e suportes na estrutura física.

Foto: Leomar Alves Rosa
Foto: Leomar Alves Rosa

O Programa Vale Renda é administrado pela Superintendência de Benefícios Sociais da Secretaria de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast).  Desde o início da nova gestão no Governo do Estado em 2015, a secretária da pasta e também vice-governadora, Rose Modesto, iniciou processo de auditoria –  encerrado no fim do ano passado – para reavaliar os gastos do programa e foram encontrados 8.021 mil cadastros que não estavam no perfil de atendimento do programa.

“Iniciamos a auditoria assim que entramos no governo, cruzamos as informações e encontramos 6 mil cadastros de pessoas que não são o perfil do Vale Renda e portanto, foram desligadas. Isso vai gerar uma economia de R$ 17, 726 milhões por ano aos cofres do governo”, descreveu a vice-governadora e secretária, que completa: “a economia em 2015 já foi de R$ 1.363 milhões”.

Para estar no programa de benefício social do Governo do Estado é preciso que a renda per capita da família não ultrapasse meio salário mínimo. Também não pode estar cadastrada em outro programa social como o Bolsa Família (benefício do Governo Federal); situação encontrada na auditoria. “Até assumirmos o governo, não havia cruzamento de informações como o programa federal, o que agora acontece”, comparou.  O benefício é de R$ 170 reais mensais e o programa pode atender até 60 mil famílias em todo MS.

Rede Solidária

O Governo do Estado também inaugurou no ano passado o Programa Rede Solidária; com primeira unidade no Bairro Dom Antônio Barbosa, região mais vulnerável de Campo Grande. O programa tem como objetivo emancipar as famílias que recebem o Vale Renda bem como os moradores da região carente. As novas instalações da Superintendência de Benefício Social vão proporcionar fluidez  no trabalho com o Rede Solidária. “Havia pouco acesso de ônibus ao prédio em que está funcionando o Vale Renda atualmente. Agora, ganhamos até nisso, ponto mais central da cidade. Outra questão é acessibilidade para os beneficiários poderem entrar no prédio sem obstáculos. A nossa intenção é acompanhar essa pessoa, saber da vida dela, gerar oportunidade, torná-la cidadã em pleno exercício de direito”, destacou a vice-governadora e secretária.

No Rede, há cursos de formação profissional como padaria e modelagem, intercâmbio de vagas com a Fundação do Trabalho (Funtrab) e ainda cursos para crianças e adolescentes de artes, informática, entre outros. “Nós pretendemos, com o Rede Solidária, proporcionar às famílias carentes e que recebem o Vale Renda a oportunidade de capacitação e inserção no mercado de trabalho para que passem a gerar a própria renda e saiam da situação de vulnerabilidade”, pontuou.  Até 2018, mais unidades do Programa devem ser inauguradas no Estado.

Comentários

comentários