Audiência de lutador acusado de matar hóspede é marcada para agosto

A primeira audiência do lutador de jiu-jitsu, Rafael Martinelli Queiroz, de 27 anos, foi marcada para o dia 17 de agosto. Ele é acusado de matar o engenheiro eletricista Paulo César de Oliveira no hotel Vale Verde, em Campo Grande, na noite do dia 18 de abril deste ano.

Rafael é acusado de matar hóspede dehotel - Foto: Reprodução
Rafael é acusado de matar hóspede dehotel – Foto: Reprodução

A audiência foi marcada pela 1ª Vara do Tribunal do Júri da Capital para ouvir testemunhas de acusação e defesa que residem em Campo Grande. A Justiça recebeu a denúncia no dia 14 de maio.

No dia 3 de junho, a Justiça negou o pedido de revogação de prisão preventiva do lutador. A defesa alegou no pedido que o acusado não necessitava permanecer preso por exercer atividade lícita, ter residência fixa e não possui antecedentes criminais. O parecer do Ministério Público Estadual (MP-MS) foi pelo indeferimento do pedido.

O lutador é acusado pelo crime de lesão corporal dolosa em relação à sua namorada Carla Maiara de Medeiros Dias, de 24 anos, em situação de violência doméstica, além do crime de homicídio qualificado por motivo torpe, meio cruel e por recurso que dificultou a defesa de Paulo César e crime de resistência à prisão. A denúncia foi recebida no dia 14 de maio.

CASO
O crime ocorreu no dia 18 de abril, no Hotel Vale Verde.O lutador, que é de Valparaíso, no interior de São Paulo, estava em Campo Grande para participar de uma competição, no entanto, teria perdido a luta por WO (desistência).
Rafael agrediu a namorada, que fugiu do quarto e se escondeu na recepção.Transtornado, Rafael saiu pelo corredor do segundo andar do hotel batendo de porta em porta a procura de Carla. Ele quebrou câmeras de segurança, sensores de presença, forro, gesso, derrubou extintores e danificou portas de vários apartamentos.
Durante a procura, Rafael invadiu o quarto de Paulo Cezar e o agrediu com cadeiradas na cabeça.

Em depoimento à Polícia Civil,o suspeito confessou ter agredido a namorada com um soco, mas afirmou não se lembrar de todos os detalhes do ocorrido no dia do crime. Depois do depoimento, Rafael foi encaminhado a uma prisão, onde aguarda julgamento em uma cela especial por possuir nível superior.

Comentários

comentários