Ator é envolvido em ‘discussão política’ e termina com cuspe na cara de anti-petista

Ze abreuO ator global José de Abreu e a mulher, Priscila Pettit, ambos declarados simpatizantes dos movimentos sociais e de partidos de esquerda, como o PT, se envolveram em uma discussão, dita política, na noite desta sexta-feira (22) em São Paulo. O fato está sendo divulgado, mas o próprio ator contou em sua página no Twitter que estava jantando com a mulher em um restaurante japonês da capital paulista quando discutiu com um homem, que ele se refere apenas como ‘advogado carioca’. Ele revela que foi agredido verbalmente primeiro e ainda que a discussão só terminou após ter cuspido na cara da pessoa.

Na rede social, José de Abreu explica a história, apesar de ser radical no próprio relato, que a discussão foi motivada por opiniões políticas e por preconceito. Segundo ele conta, o casal teria ouvido a seguinte frase: “Vota no PT e vem comer no japonês”. O restaurante é um local considerado de elite e frequentado por ‘quem tem status e dinheiro’.

Abreu relata: “Acabei de ser ofendido num restaurante paulista. Cuspi na cara do coxinha e da mulher dele! Não reagiu! Covarde. Advogado carioca”, escreveu. Ele completou: “O covarde perdeu a linha […] Cuspi na sua cara, na cara da mulher dele e ele não reagiu. Covardes fascistas.”

O ator disse que foi uma ‘agressão gratuita, sem o menor motivo!’. E completa: “Fascistas são tratados assim, com cuspe na cara. Dele e da mulher. Ninguém vai me chamar de ladrão e nem minha mulher de vagabunda sem levar um troco. O troco foi em homenagem ao Jean Wyllys”. O nome citado é o deputado federal, que no último domingo fez o mesmo ato contra o também parlamentar Jair Bolsonaro, na votação da abertura de processo do Impeachment.

Zé de Abreu disse, ainda, que sua mulher foi ofendida durante meia hora e que, quando foi sair do restaurante, o homem começou a discursar. “Cuspi na cara!”, admitiu o ator.

Outras polemicas

Militante do PT, José de Abreu foi até liberado pela Rede Globo para apresentar o programa político do partido que foi ao ar no mês de agosto de 2015. Ele já havia participado de outras inserções, mas não como “ator principal”, ainda mais no auge do sucesso de uma novela da emissora.

Em março deste ano, Abreu participou de um vídeo em que artistas fazem questionamentos sobre a corrupção: “Se todo mundo é contra a corrupção, por que ela continua?”. E fez campanha aberta contra o processo de Impeachment da presidente Dilma Rousseff, aberto no último domingo (17) na Câmara dos Deputados.

Por meio do Twitter, o ator participou de pelo menos outras duas polêmicas recentes. Em dezembro do ano passado, ele discutiu com o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). “E o Randolfe, hein? Outro hipócrita safado”, escreveu o ator que então participava da novela da Globo A Regra do Jogo em seu perfil, citando a conta do senador. O político havia sido citado em um dos processos da operação Lava-Jato, acusado de receber R$ 200 mil de propina.

Em maio de 2014, o ator se envolveu em uma polêmica com o vocalista da banda Ultraje a Rigor, Roger Moreira. O líder do grupo foi chamado de desonesto intelectual e foi atacado no Twitter por, entre outras pessoas, Zé de Abreu, que questionou a integridade de Roger por “meter pau no governo federal”, mas aceitar patrocínio para se apresentar no Festival CCBB de Música Urbana, em São Paulo. Roger interrompeu um show para responder aos ataques da “militância política do PT”.

Comentários

comentários