Atirador fez posts no Facebook durante massacre em boate gay de Orlando

Carta elaborada pelo Senado dos EUA pede ao CEO da rede social acesso aos dados de navegação de Omar Mateen

Estados Unidos – Autoridades norte-americanas divulgaram em carta que o atirador Omar Mateen fez diversos posts em sua conta na rede social Facebook simultaneamente ao ataque à boate Pulse, em Orlando, na Flórida. Omar Mateen, de 29 anos, matou 49 pessoas e deixou 53 feridas no último domingo com o pretexto de que estavam nos “caminhos sujos do oeste”. Segundo o documento elaborado pela Comitê de Segurança Interna do Senado dos Estados Unidos, ele culpava o país pela morte de “mulheres e crianças inocentes.”

Omar Mateen matou 49 pessoa na Pulse Foto: Reprodução / Facebook
Omar Mateen matou 49 pessoa na Pulse
Foto: Reprodução / Facebook

A carta elaborada foi encaminhada para o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, como forma de pedido para que a empresa permita o acesso das informações da atividade de Mateen na rede.

Momentos antes de ser morto por agentes da Swat, Mateen também buscas online por “Pulse Orlando” e “Shooting”. De acordo com autoridades, ele mantinha cinco contas na rede social. Em um deles, teve a ousadia de dizer: “Nos próximos dias você vai ver ataques do Estado Islâmico nos Estados Unidos.”

O FBI se posicionou com cautela a respeito das declarações e disse que procura entender o que motivou o ataque. “Nós precisamos de ajuda para entender o quadro mais completo do que ele fez e por que ele fez isso”, afirmou o agente Ron Hopper em entrevista coletiva.

Já havia sido noticiado que o atirador declarou lealdade ao grupo terrorista em uma ligação para a polícia, mas a administração Obama diz não acreditar que o ataque tenha sido coordenado pelo grupo. Ele também entrou em contato com um amigo e um produtor de TV.

Comentários

comentários