Atentados em Bagdá deixam ao menos 20 mortos e mais de cem feridos

Agência Brasil/JN

O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) assumiu a autoria

Pelo menos 20 civis morreram nesta terça-feira e 111 ficaram feridos em dois atentados com carros-bomba, separados por um lapso de dez horas, no centro de Bagdá, a capital do Iraque, informou à Agência EFE uma fonte policial.

Bagdá: o EI reivindicou um dos ataques (Khalid al-Mousily/Reuters)

No primeiro atentado, que aconteceu pouco depois da meia-noite (horário local), morreram pelo menos 11 pessoas e outras 75 ficaram feridas em uma conhecida sorveteria, cheia de famílias que tinham saído para comer à noite, como é tradicional no mês do Ramadã.

No segundo ataque, pelo menos nove pessoas morreram e outras 36 ficaram feridas depois que um carro-bomba estacionado em frente ao Departamento de Pensões Públicas, perto da ponte da Al Shohadaa, na região central de Al Shawaka, segundo a fonte.

Entre as vítimas do atentado realizado durante a madrugada na sorveteria Al Faqma, um conhecido local do centro de Bagdá, havia um número indeterminado de crianças e mulheres.

O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) assumiu a autoria dos dois atentados, que foram realizados por terroristas-suicidas e, em ambos os casos, tinham como alvo a comunidade xiita, de acordo com os comunicados difundidos pela agência Amaq, que é vinculada aos jihadistas, e cuja autenticidade não pôde ser verificada.

O grupo terrorista sunita tem os xiitas entre seus principais alvos no Iraque, e os considera muçulmanos “apóstatas” ou hereges.

Atualmente, o exército e a Polícia Federal do Iraque realizam uma grande ofensiva contra o EI em Mossul, no norte do país, que foi a maior cidade conquistada pelos jihadistas.

Comentários

comentários