Atacantes Tardelli e Borja são as opções para vaga de Jesus no Palmeiras

Mesmo com foco no título do Campeonato Brasileiro, a diretoria do Palmeiras já planeja o elenco do ano que vem. O setor mais importante é o ataque, que perderá Gabriel Jesus para o Manchester City, do técnico espanhol Pep Guardiola, no final do ano. Os dirigentes têm uma lista pronta de alguns nomes para substituir o camisa 33 e os principais candidatos são o colombiano Miguel Borja e Diego Tardelli.

Borja fez quatro gols contra o São Paulo na Libertadores (Foto: Reuters)
Borja fez quatro gols contra o São Paulo na Libertadores (Foto: Reuters)

Miguel Ángel Borja, do Atlético Nacional, foi o carrasco do São Paulo na Copa Libertadores deste ano, vencida pelo próprio time colombiano. O atacante marcou quatro gols nas semifinais diante da equipe do Morumbi. O maior entrave para a negociação é a valorização do atacante depois das grandes atuações na Copa Libertadores e Copa Sul-Americana. Times espanhóis já demonstraram interesse pelo goleador de 23 anos.

Palmeiras espera resposta de Jailson sobre renovação

Diego Tardelli está insatisfeito na China. Ele vinha sendo utilizado como titular pelo técnico Mano Menezes no primeiro semestre e foi mantido nas primeiras partidas com o alemão Felix Margath. Com a chegada dos atacantes Graziano Pellè e Pappis Cissé, o brasileiro perdeu espaço no grupo e está praticamente fora dos planos do Shandong Luneng.

Um dos pontos que dificultam a negociação com qualquer clube é o salário, na ordem de R$ 2 milhões por mês. Os asiáticos só aceitariam liberá-lo se algum clube pagar a remuneração total do atleta de 31 anos.

A lista de reforços está sendo elaborada pela diretoria em conjunto com Cuca, embora a permanência do treinador não esteja sacramentada. A renovação de seu contrato, que termina no final do ano, transformou-se em tema proibido na reta final do Brasileirão. A ordem do treinador é não perder o foco na luta pelo título que não é conquistado há 22 anos. Ele não fala de renovação nem com as pessoas mais próximas.

Sua permanência não está condicionada à conquista da taça. O treinador balançou quando recebeu, na metade do ano, uma proposta para retornar ao futebol chinês. Seriam US$ 7 milhões por temporada ou R$ 22 milhões. Sua primeira passagem por lá foi vitoriosa: ele conquistou a Copa da China e a Supercopa da China quando dirigiu o Shandong Luneng do começo de 2014 ao fim de 2015.

Nos últimos dias, o treinador transformou a renovação em um tema proibido para se concentrar na recuperação do bom futebol da equipe. Cuca avalia que o time caiu nos últimos três jogos (vitórias sobre Figueirense e Sport, além da derrota para o Santos). Por isso, dedicou os últimos treinamentos à manutenção da posse de bola, com passes curtos e movimentação.

Comentários

comentários