Assassino de churrasqueiro diz que menina de 14 anos armou o crime

Foi apesentado na tarde desta terça-feira(04), Alexsandro Pinheiro dos Santos, de 24 anos, o quarto envolvido preso pelo latrocínio cometido contra o churrasqueiro Francisco Irivan Martins, no ultimo dia 26 de julho, no Distrito de Indubrasil, distante aproximadamente 20 km da Capital.

Foto Ivan Silva
Foto Ivan Silva

Segundo a Delegada Célia Maria Bezerra, o suspeito foi preso no domingo(02), a pé em uma estrada de matagal à noite, quando seguia para a casa de uma parente que é localizada no Jardim Noroeste, região leste de Campo Grande. O rapaz estava escondido com a tia no Assentamento Três Corações.

Célia conta que Alexsandro manteve a versão do companheiros, que necessitavam de dinheiro e por isso cometeram o crime. “Ele é o irmão da adolescente que seduziu a vitima para irem até o local, porém no depoimento ele deixou a entender que quem arquitetou tudo foi a irmã e isso inclusive vai em consonância com o depoimento do João Roberto, que também afirma que a ideia da adolescente”, afirma a delegada.

Durante a apresentação Alexsandro assumiu a autoria do crime, e afirmou que estava sob efeito de álcool e de drogas. “Nós tínhamos combinado de que ela iria chamar ele para o escuro onde peguei uma madeira e bati nele, depois arrastamos para o mato e eu matei ele. Das coisas roubadas eu não fiquei com nada, só matei ele e fui embora, e agora vou pagar né…” afirma Alexsandro.

A delegada afirma que a adolescente tem um certo domínio pelos homens, principalmente por João Roberto, e o irmão se aproveitava disso. Outro fato é que após o crime a adolescente teria mantido relações sexuais com João Roberto, na casa de uma amiga, onde passaram a noite juntos. O celular da vitima também ficou em posse dela e inclusive o trouxe para Campo Grande.

Os adultos responderão pelo crime de latrocínio, roubo seguido de morte com pena de 20 a 30 anos de prisão e também por corrupção de menores. Já a jovem vai responder por ato infracional análogo a latrocínio.

Crime – A vítima, acompanhado da menor CPS, de 14 anos, do irmão dela, Alexsandro Pinheiro dos Santos, 24 anos, Paulo da Silva Brito, 25 anos, e João Roberto Lopes da Silva, de 22 anos, foi atraída até as proximidades de um cemitério na cidade de Inhanduí sobre o pretexto da adolescente manter relação sexual com a vítima em troca de dinheiro.

Eles pretendiam seguir para um bar na cidade de Nova Alvorada do Sul, porem naquele local, a vítima foi rendida por Alex e João Roberto, com socos e ponta pés e, após desmaiada, teve sua face desfigurada por um pedaço de madeira existente no matagal aonde foi deixada.

Foram subtraídos a quantia de R$ 10,00 em dinheiro e um aparelho celular

Paulo Francis

Comentários

comentários