Assassino confesso da mulher, filho e afilhado vai a juri amanhã. Veja vídeo

Marcos Luiz Azevedo Chaves, 23 anos, acusado da chacina contra a mulher, o filho e o afilhado, em janeiro de 2012 em Itaporã, irá a julgamento amanhã (31), às 13h, no fórum daquele município. No vídeo acima, ele confessa o crime.

Caso ocorreu em 2012 em Itaporã - Foto: Arquivo/Osvaldo Duarte
Caso ocorreu em 2012 em Itaporã – Foto: Arquivo/Osvaldo Duarte

Após ser preso, ele foi encaminhado à penitenciária máxima em Naviraí, onde ficou na solitária por alguns meses até ser colocado em convivência com demais detentos.

A chacina abalou a cidade de Itaporã e comoveu o Estado. Marcos matou a mulher, o filho e o afilhado, com o total de 90 facadas. A maioria dos golpes foram desferidos na região do peito, pescoço e rosto das vítimas. Réu confesso, o rapaz foi preso horas depois e na época disse ao Dourados Agora que o motivo da chacina seria o som alto.

Marcos disse que tentou se matar depois da chacina. (Foto: Hedio Fazan)
Marcos disse que tentou se matar depois da chacina. (Foto: Hedio Fazan)

Depois de mais um dia de trabalho na chácara Bela Vista, onde a família morava e tinha um aviário, Marcos foi para casa. No período da noite passou a tomar cachaça e ouvir som em alto volume. Fernanda Naiara Azevedo, mulher de Marcos, ficou incomodada com a música. Pediu para que o marido abaixasse o volume. Sem sucesso.

Irritado com a mulher, Marcos entrou na cozinha, pegou uma faca e partiu para cima de Fernanda. Ele desferiu vários golpes até a faca quebrar. Pegou outra e terminou de matar a vítima.

Com o barulho, o bebe do casal, na época com sete meses, começou a chorar. Marcos não pensou duas vezes e para calar a criança acertou um golpe certeiro no peito. O menino dormia no berço e recebeu 23 facadas.

A outra criança, de dois anos e sete meses, filho apenas de Fernanda, levou 22 facadas. Ele dormia na cama junto com a mãe e para tentar se defender do padrasto levantou as mãos. Marcos acertou um dos dedos do menino, que foi decepado. Um dos golpes pegou também no pulso da criança, que quase separou a mão do braço. Depois disso o assassino desferiu impiedosamente outros golpes. O detalhe que todos foram na região do peito, pescoço e rosto. A vítima teve um profundo corte na garganta.

Comentários

comentários