Artilheiro do Peixe quer ser protagonista e conquistar título inédito

Ricardo Oliveira já brilhou pela Portuguesa, pelo São Paulo, vestiu a camisa da Seleção Brasileira, jogou ao lado de grandes craques do futebol mundial, figurou na linha de ataque do Milan, da Itália, rodou a Europa e resolveu buscar independência financeira no futebol árabe. Agora, porém, o centroavante busca um feito que pode até parecer minúsculo perto de uma carreira tão vitoriosa, mas que significa muito para o próprio jogador: o título do Campeonato Paulista.

Após bom desempenho nas fases anteriores, centroavante quer liderar ataque santista também nas finais
Após bom desempenho nas fases anteriores, centroavante quer liderar ataque santista também nas finais Ivan Storti/Santos FC

“De fato, não tenho esse título ainda. Tive participação, sem muito protagonismo, no São Paulo campeão brasileiro (em 2006). É um momento especial e gostaria, com o Santos e meus companheiros, de levantar o troféu, ser protagonista”, afirmou o artilheiro da competição com dez gols.

Sempre muito sereno, equilibrado e confiante em suas respostas, o experiente jogador de 34 anos sabe que depois de quase três meses de disputa, agora a equipe precisa saber se portar em um momento diferente.

“Fisicamente, estamos bem. Agora, psicologicamente, para enfrentar uma final, que é diferente de qualquer situação que não exija tanta perfeição de concentração e execução. Será jogo complicado, mas é final, o que desejávamos. Chegamos e vamos enfrentar o jogo com confiança, alegria”, contou.

Neste domingo, o Peixe visita o Palmeiras no Palestra Itália às 16 horas e dá início à decisão. Porém, Ricardo Oliveira faz questão de lembrar que a final será disputada em dois jogos e o fato de poder definir o campeão na Vila Belmiro tem de ser levado em consideração pelos jogadores, em campo.

“Não existe ritual diferente, é um jogo importante. Não é definitivo, são dois jogos. Mas sabem a característica do Santos, vamos com força psicológica e concentração para conseguir um bom resultado neste domingo”, explicou.

Ao fazer uma breve análise do rival, o camisa 9 nem pensou em polemizar ou puxar algum favoritismo. Nesta hora, para o atleta do Peixe, quanto menos provocar, melhor. “Estamos falando de uma equipe tradicional, vencedora e que por méritos chegou na final. Obviamente, o pensamento é de que vamos ter de fazer um grande jogo, porque Palmeiras é uma grande equipe, tem um excelente treinador, jogadores de qualidade inquestionável. Tratando-se de uma final, existe grande expectativa de todos e nós vamos nos preparar muito bem”, ponderou.

Logo após a semifinal vencida em cima do São Paulo, Ricardo Oliveira não titubeou e admitiu que o descrédito dado ao Santos no início do ano motivou o elenco durante todo o Paulistão. Da mesma forma, o jogador não negou que a vitória por 2 a 1 no último domingo, da forma contundente como foi, também exaltou a confiança do grupo para a tão esperada decisão pelo título.

“É normal que haja uma alegria, sim, depois de vencer um adversário como o São Paulo. No campo, comemoramos até de forma contida com nossos torcedores. Agora, é uma outra situação, já passou. Temos que focar na final. Dá confiança para vencer clássico? Dá, assim. Como no outro lado, porque venceram um grande rival. Acho que os dois chegam em boa forma para a final”, finalizou.

GAZETA ESPORTIVA

Comentários

comentários