Arrastadores são presos levando veículo roubado na Bahia para o Paraguai

Seis pessoas foram presas na tarde de sexta-feira (30) pelo DOF (Departamento de Operações de Fronteira) acusados de receptação e associação criminosa. O flagrante ocorreu próximo a ponte sobre o rio Dourados, na BR-163, em Dourados. O grupo tentava levar uma caminhonete Toyota Hilux roubada em Salvador (BA) no dia 25 de agosto, até o Paraguai, onde seria comercializada.

Grupo foi preso por policiais do DOF - Fotos: Osvaldo Duarte
Grupo foi preso por policiais do DOF – Fotos: Osvaldo Duarte

Luana Pereira de Oliveira, 23, Lucas Nascimento dos Santos, 21, Alvino Pimenta Junior, 43 e José Luiz de Souza, 35, todos moradores em Goiânia (GO), Alessandro Santos de Jesus, 31, residente em Salvador e Genivaldo de Castro Oliveira, 37, de Aparecida de Goiânia (GO), foram levados à sede da Defron (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira).

De acordo com as informações apuradas junto ao DOF, Genivaldo conduzia o veículo com placas falsas de Alagoinhas (BA). Durante abordagem, a polícia percebeu sinais de adulteração na caminhonete e em checagem ao sistema, constatou o crime de roubo.

Questionado, disse ter sido contratado por R$ 1 mil para trazer o veículo até a região de fronteira.

Logo em seguida os policiais pararam o Fiat Pálio branco, com placas de Formosa (GO) onde estavam Alvino, Lucas e Luana. O primeiro afirmou que foi convidado por Lucas, que não possuía CNH (Carteira Nacional de Habilitação) para conduzir o carro até o Paraguai para ele e sua esposa Luana pudessem fazer compras.

Junto deles, também foi dada ordem de parada ao Ford Ka prata, com placas de Curitiba (PR) que tinha Alessandro no comando e José Luiz como passageiro. O primeiro fez a mesma alegação de Alvino e que levaria José até Coronel Sapucaia para procurar trabalho.

Todos negaram estar juntos do motorista que levaria a caminhonete ao Paraguai, porém, foram encontradas várias mensagens de texto nos celulares dos suspeitos que comprovou que faziam parte da mesma ação.

Além do transporte do veículo roubado à fronteira, a polícia também trabalha com a hipótese de que a Hilux poderia ser usada no preparo de tráfico de entorpecentes. O caso é investigado. (Com Informações Dourados News)

Comentários

comentários