Após fiança de R$ 3 milhões, empresário da Lava Jato deixa prisão

O juiz federal Sérgio moro substituiu a prisão preventiva do empresário Mariano Marcondes Ferraz, por medidas cautelares. A decisão foi tomada esta tarde em uma audiência de custodia na Justiça Federal do Paraná. Para deixar a cadeia, moro ainda estipulou uma multa de R$ 3 milhões, além de proibir que o investigado deixe o país.

Mariano Marcondes Ferraz foi preso no dia 27 de outubro no Aeroporto Internacional de Guarulhos, onde iria embarcar em um voo para Londres, na Inglaterra. Investigado na operação Lava Jato, o empresário é ligado aos grupos Trafigura e Decal.

Ele foi preso porque existem indícios de que Ferraz praticou crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. De acordo com o despacho que autorizou a preventiva, Ferraz efetuou o pagamento de vantagens indevidas que superam o patamar de US$ 800 mil dólares, entre 2011 e 2013. O pagamento de propina era feito em offshores ligadas ao ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa.

De acordo com os procuradores da Lava Jato, o pedido de prisão foi feito para garantir a ordem pública e evitar o risco à aplicação da lei penal. Segundo o Ministério Público Federal, Mariano Marcondes Ferraz possui dupla nacionalidade (brasileira e italiana) e mora no exterior, onde trabalha e tem recursos financeiros depositados.

Comentários

comentários