Após atraso, Fred enfim se despede do Fluminense: ‘Se fosse por mim, ficaria’

Depois de dois dias de atraso e muita espera, Fred finalmente falou oficialmente sobre a sua saída do Fluminense. O atacante afirmou que não gostaria de deixar o Tricolor, mas não foi muito claro sobre os motivos que o levaram a deixar o clube. O atacante, de 32 anos, vai atuar pelo Atlético-MG até o fim de 2018.

Fred se despediu da torcida tricolor Foto: Daniel Castelo Branco / Agência O Dia
Fred se despediu da torcida tricolor Foto: Daniel Castelo Branco / Agência O Dia

“Se fosse uma decisão só minha, eu ficaria. Quando chega uma ideia de que é aceitável, de que é bom uma saída, vamos trabalhar em cima do que é bom para todo mundo. Relação é de carinho, gratidão. Ninguém vai sentar em cima de um contrato”, afirmou o atacante.

Segundo o ídolo tricolor, o motivo da sua saída não foi o dinheiro. O atacante deverá receber no clube mineiro um salário superior ao que recebia na equipe das Laranjeiras.

“Não tem a ver com dinheiro nisso. Estou saindo porque não estava dando para ficar. Comecei a sentir que não estava ficando fácil, simples as coisas. Não comigo. Eu estava bem, podia sentar no meu contrato de mais dois anos e ficar tranquilo. Mas não é meu perfil. Se o problema fosse dinheiro, tive outra proposta milionária há dois meses. O melhor mundo para o todos seria eu ir pra China. Mas não é dinheiro a questão. Vou ser pai em breve outra vez e não quero ficar longe. Queria ficar, encerrar minha carreira, mas infelizmente não deu”, disse.

Pouco antes da entrevista coletiva de Frred, a rescisão de contrato com o Fluminense publicada no BID da CBF. Assim como o registro no novo clube. O atacante deixa o Flu após pouco mais de sete anos com 172 gols marcados em 288 partidas. Pelo clube das Laranjeiras, o camisa 9 conquistou dois Brasileiros, um Carioca e uma Primeira Liga.

“Tantas vezes esse momento esteve perto e infelizmente hoje aconteceu. Já passei por momentos aqui que a saída parecia certa e eu permaneci. Achava que mais uma vez ia acontecer isso, mas não foi assim. Só tenho que agradecer todos que me deram apoio. A diretoria, ao Peter, ao Jorge, aos jogadores. Todos os funcionários, os torcedores que me abraçaram em momentos difíceis. Mas os sonhos de Deus são maiores do que os nossos. Falei que o dia que eu sentisse que eu poderia me tornar um peso para o clube, adoraria coisa franca aberta. Hoje posso não ser um peso, mas as circunstâncias levam a isso… Questões financeiras, alguma coisa. Tivemos várias conversas, senti que a melhor alternativa seria uma saída minha. Chegou a hora de sair da minha casa. Construir uma outra família e torcer de longe para o Fluminense”, disse emocionado. (O DIA)

Comentários

comentários