Após 3 meses de apuração, Gaeco deve denunciar vereadores da Coffee Break

Grupo irá terminar até o fim deste mês as investigações sobre compra de voto de votos para cassar prefeito Alcides Bernal

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) irá terminar até o fim deste mês as investigações da compra de voto de vereadores para cassação do mandato do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP). A ideia é denunciar os responsáveis e excluir os investigados sem envolvimento no crime.

Promotor Marcos Alex, do Gaeco  Foto: Kerolyn Araújo
Promotor Marcos Alex, do Gaeco Foto: Kerolyn Araújo

Segundo o jornal Correio do Estado, os investigadores do MPE (Ministério Público Estadual) estão há cerca de três meses apurando possível esquema de compra de votos na cassação do mandato do prefeito Alcides Bernal, envolvendo vereadores da Câmara Municipal e empresários da Capital.

O inquérito foi aberto assim que a Polícia Federal identificou conversas suspeitas durante a Operação Lama Asfáltica, ainda em andamento. Os dois órgãos de trabalham em um sistema de cooperação entre si para trocas de informações.

Desde que foi deflagrada a Coffee Break causou o afastamento do presidente da Casa de Leis, vereador Mário César (PMDB) e o prefeito Gilmar Olarte (PP).

Comentários

comentários