“APAE atende acima da capacidade e Comissão pedirá revisão de contrato”, diz Siufi

Fernanda Kintschner / ALMS

Foto: Victor Chileno

Em visita à Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Campo Grande (Apae/CG), o presidente da Comissão Permanente de Saúde da Assembleia Legislativa, deputado Paulo Siufi (PMDB), disse ter constatado que a entidade atende seis vezes mais pessoas do que o contratualizado com a Prefeitura de Campo Grande. A informação foi repassada pelo parlamentar em discurso na tribuna durante sessão desta quarta-feira (14), em que também revelou que a Comissão de Saúde fará visitas surpresas em várias unidades prestadoras de serviços de saúde que recebam recursos públicos. Na semana passada, como o Página Brazil noticiou, mães de alunos foram até a Casa de Lei, para denunciar situação e pedir intervenção dos parlamentares

“Fomos visitar a Apae na segunda-feira após as mães nos procurarem com inúmeras denúncias de mau atendimento e qualidade de órteses e próteses [reveja clicando aqui]. Verificamos que o contrato da APAE com a prefeitura é para atender 500 pessoas por mês e hoje eles atendem em média 3.100 pessoas por mês. É claro que tem muito a se melhorar com essa realidade, mas pudemos constatar o trabalho maravilhoso que eles fazem por lá”, disse o deputado.

Segundo o presidente da Comissão, a APAE é “um lugar diferenciado, onde há acessibilidade e trabalho digno”, porém teria sido afetada pela falta de repasses municipais na gestão municipal anterior. Siufi ainda apresentou cópias de todos os contratos firmados com a entidade, que foram disponibilizadas para análise dos parlamentares da Comissão e disse que a visita foi acompanhada por membros do Ministério Público Estadual, que também será chamado para as visitas surpresas posteriores.

Pedro Kemp (PT) parabenizou a iniciativa do parlamentar. “Quando recebemos denúncias temos obrigação de averiguar e o senhor fez muito bem. A Apae tem 50 anos de história e o que faz pelas pessoas com deficiência o Poder Público não faz. Podem sim haver problemas, mas não podemos desmerecer todo o trabalho feito. Constatando irregularidades elas devem ser corrigidas”, destacou.

O deputado Cabo Almi (PT) concordou. “Sou vizinho da Apae e já tive a oportunidade de ir sala por sala e conhecer várias mães. Não podemos perder esse atendimento de saúde, que presta serviços além do que o governo oferece”, afirmou. Para o deputado Amarildo Cruz (PT), é preciso mobilização dos deputados para a liberação das emendas parlamentares de 2016. “Esse recurso precisa ser pago, é um dinheiro previsto e nós já cobramos. Faço novamente esse apelo para que o Governo do Estado repasse”, finalizou.

Comentários

comentários