Ancine anuncia investimento em projetos para cinema e TV

camera-301523_640-620x350-620x300

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai apoiar com R$ 14 milhões a produção de 17 novos filmes por meio de seu Edital de Cinema. A principal novidade deste ano é a inclusão de uma categoria destinada a coproduções brasileiras com outros países latino-americanos, que irá premiar o vencedor com R$ 500 mil. O objetivo é estimular o intercâmbio cinematográfico entre o País e o restante do continente. As demais categorias — Ficção, Documentário, Animação e Finalização — continuam vigentes.

A categoria Ficção é dividida em dois grupos. O grupo 1 seguirá premiando até dois projetos que priorizem o sucesso comercial, sem prejuízo da qualidade artística e técnica. Cada um dos filmes selecionados neste grupo será apoiado com R$ 1 milhão. No grupo 2, voltado a filmes que priorizem a busca de reconhecimento artístico e técnico no mercado internacional, pelo menos um dos cinco projetos premiados — com R$ 1 milhão cada — terá de ser, necessariamente, de diretor estreante em longas-metragens.

Os dois projetos selecionados na categoria Animação receberão R$ 1,5 milhão cada. Na categoria “Documentários”, serão destinados R$ 500 mil para cada um dos cinco projetos aprovados. Já a categoria Finalização selecionará dois filmes em fase de pós-produção, independentemente de gênero (ficcional, documental ou animado), premiados com R$ 500 mil cada.
Cada produtora poderá enviar até três propostas. As inscrições estão abertas até 27 de abril, no site do BNDES: www.bndes.gov.br, onde estão disponíveis também o Edital e seus anexos. Com a antecipação do lançamento em 2015, o Banco pretende fixar o cronograma de lançamento anual no primeiro trimestre.

Cadeia Produtiva

O Edital de Cinema é a mais antiga ferramenta de apoio do BNDES ao setor audiovisual. Desde que foi lançado, em 1995, já apoiou a produção ou finalização de 415 filmes nacionais, com um valor total de R$ 189 milhões.
O Banco também apoia o setor audiovisual com uma série de instrumentos financeiros reembolsáveis e não reembolsáveis, de renda fixa e variável. Tal apoio atinge todos os elos da cadeia produtiva, contemplando desde a produção de filmes até planos de negócios de produtoras, construção e digitalização de salas de cinema e patrocínio a festivais em todo o País.

O Programa BNDES para Desenvolvimento da Economia da Cultura (BNDES Procult) e o Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) — do qual o BNDES é um dos agentes financeiros — investiram, juntos, R$ 470 milhões no setor desde 2007.
O BNDES também já investiu R$ 39 milhões nos Fundos de Financiamento da Indústria Cinematográfica Nacional, os Funcines. Regulamentados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), tais fundos de participação foram criados para atrair novos investidores à cadeia produtiva, de modo a capitalizar as empresas e melhorar sua profissionalização e governança.

Fonte: Redação Bem Paraná, com assessoria

Comentários

comentários