Alimentos típicos de festas juninas sobem o dobro da inflação em Campo Grande

Da Redação/JN

Os produtos mais consumidos nas festas juninas e julinas subiram em média em Campo Grande neste ano frente ao anterior, 7,57%, o dobro da inflação acumulada nos últimos 12 meses na cidade, que foi de 3,78%.

Preço médio dos produtos mais consumidos nesta época do ano subiu quase o dobro do índice de inflação dos últimos 12 meses (Foto: Reprodução/TV Morena)

O coordenador do Nepes, Celso Correia de Souza, comenta que apesar do aumento médio estar acima da inflação acumulada em um ano na cidade, é bem menor que a taxa registrada em 2016 em comparação com 2015, quando alcançou 18,17%.

De acordo com o coordenador do Nepes/Uniderp, Celso Correia de Souza, o aumento está acima do último índice da inflação acumulada em um ano, que foi de 3,78%. “Porém a taxa é bem menor do que a registrada em 2016 em comparação com 2015, quando alcançou 18,17%”, explica o professor.

A entidade apurou o preço de 47 produtos. Os itens que registraram os maiores incrementos de preço foram: carne seca e charque, com 28,50%; vinhos, com 17,14%, canela em casa e em pó, com 17%, coco ralado, com 16,91%, milho de pipoca, com 15,29% e milho para canjica, com 11,79%.

Apesar da alta na média do grupo de produtos e dos aumentos expressivos de alguns itens, também foram registradas na pesquisa algumas retrações de preços como no caso da maça nacional, com 53,97%; milho verde, com 9,62%, fubá, com 7,74%, farinha de milho amarela, com 4,06% e aguardente, com 0,73%.

Comentários

comentários