Agosto Lilás: “As mulheres não estão mais aceitando a violência”, diz subsecretária

O governo Estado lançou, por meio da Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres, a campanha “Agosto Lilás”, com ações que comemoram os 10 anos da Lei Maria da Penha. Na manhã desta segunda-feira (08), a Subsecretária de Políticas Públicas para Mulheres, Luciana Azambuja, apresentou dados sobre a violência contra a mulher. Participaram da coletiva de imprensa o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), José Carlos Barbosa, a delegada titular da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam), Ariene Murad e a juíza da 3° Vara da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, Jacqueline Machado.

Segundo informações da subsecretária, dados analisados mostram que o número de denúncias de violência doméstica em 2016 aumentou em relação ao primeiro semestre do ano passado. “As mulheres não estão aceitando a menor ameaça de agressão e estão procurando a polícia”, ressaltou Luciana Azambuja.

Foto: Kerolyn Araújo
Foto: Kerolyn Araújo

Somente neste ano já foram registrados 16 casos de feminicídio no Estado, sendo dois deles em Campo Grande. A maioria das vítimas foram mortas por seus ex-companheiros e por arma branca (faca). Atualmente, Mato Grosso do Sul ocupa o 9° lugar dos estados onde mulheres mais sofrem violência doméstica.

Tornozeleiras 

Conforme a juíza Jacqueline Machado, somente neste ano já foram realizadas 249 audiências de custódias, onde 127 agressores tiveram as prisões decretadas.

“Atualmente a justiça está monitorando 50 agressores com tornozeleiras eletrônica. Isso impede que eles se aproximem das vítimas e o resultado está sendo eficaz”, contou.

Agosto lilás

Em comemoração aos 10 anos da Lei Maria da Penha, o governo está realizando várias ações voltadas ao tema violência doméstica. Uma delas são palestras, entre elas a “Maria da Penha vai à Escola”. Segundo Luciana, é fundamental que as mulheres conheçam desde cedo os seus direitos e os meninos estejam cientes que violência contra mulher é crime.

 

 

Comentários

comentários