Africanos vencem a São Silvestre mais uma vez; brasileiros vão ao pódio

Era esperado um duelo de brasileiros e africanos na 91ª Corrida Internacional de São Silvestre, mas os atletas nacionais não foram páreos para os estrangeiros. Solonei Rocha da Silva, classificado para a Olimpíada na maratona, não foi bem, e o melhor corredor brasileiro foi Giovani dos Santos, que ficou na quinta posição, a mesma que obteve na edição passada.

Queniano Stanley Biwott cruza a linha de chegada em primeiro lugar (Foto: Estadão Conteúdo)
Queniano Stanley Biwott cruza a linha de chegada em primeiro lugar (Foto: Estadão Conteúdo)

O título ficou com Stanley Biwott, do Quênia. No feminino, o título ficou novamente com a etíope Wude Ayalew Yimer. Jose Magno dos Santos Mota largou mais rápido e ficou na liderança, mas não por muito tempo. Antes da metade da prova, um bloco com alguns atletas já tinha se separado dos outros competidores, e nele estava Stanley Biwott, campeão da Maratona de Nova York.

No grupo estavam os brasileiros Giovani dos Santos e Altobeli Santos da Silva. Só que aos poucos o bloco na liderança foi diminuindo de tamanho, com Altobeli ficando para trás. Só Giovani se manteve na caçada aos africanos, que impunham um bom ritmo e não davam brecha. Na reta da Avenida Paulista, uma briga forte entre Stanley Biwott e o etíope Leul Gebresilase Aleme, com vitória do primeiro.

Feyisa Lilesa Gemechu, da Etiópia, chegou na terceira posição, seguido pelo bicampeão da São Silvestre, Edwin Kipsang Rotich. O brasileiro Giovani chegou em quinto. “Estou feliz. Sei que é difícil, mas vou lutar sempre até conseguir o lugar mais alto no pódio da São Silvestre. Pena que eles desgarraram na subida da Brigadeiro”, disse.

TERRA

Comentários

comentários