Adolescente está com suspeita de raiva humana em Corumbá

A Secretaria de Saúde de Corumbá, a 415 km de Campo Grande, investiga um caso suspeito de raiva em uma adolescente de 13 anos, que está internada no hospital municipal. A menina apresentou sintomas da doença e foi internada em observação.

Ela foi mordida por um cachorro em novembro. Exames de coleta de material foram feitos e enviados para um laboratório, mas os resultados ainda não ficaram prontos, segundo a secretaria de saúde.

Há duas semanas, um caso de raiva humana foi confirmado em Mato Grosso do Sul depois de 20 anos sem registros da doença em humanos. O último caso tinha sido registrado em 1994. O paciente que morava em Corumbá está internado em estado grave no Hospital Universitário de Campo Grande, onde recebe tratamento experimental contra a doença.

Em Corumbá, 19 pessoas que tiveram algum contato com animais com sintomas da raiva estão em observação. As equipes de saúde notificaram cerca de 150 casos de pessoas que foram mordidas ou arranhas por animais domésticos.

Tratamento

O paciente com raiva está internado no HUMAP (Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian) de Campo Grande. Ele é o primeiro caso registrado de raiva humana desde 1994 e está recebendo um tratamento experimental contra a doença.

A terapia salvou a vida de um adolescente em 2008 no estado de Pernambuco. Ainda segundo o boletim médico, durante a internação o paciente teve alteração renal e pressão baixa, que foram controladas com medicação.

Conforme a assessoria do hospital, o homem morava em Corumbá, a 415 km de Campo Grande, e contraiu a doença depois de ser mordido por um cachorro. Ele foi transferido para a capital de Mato Grosso do Sul no dia 18 de abril com sintomas da doença, que foi confirmada por exames.

De acordo com a equipe médica, exames de controle enviados ao Instituto Pasteur indicam que o paciente apresentou diminuição da replicação do vírus da doença e o início da produção de imunidade.

Comentários

comentários