Ações de prevenção e diagnostico do HIV/AIDS marcam Dezembro Vermelho

(Foto: Paulo Francis)
(Foto: Paulo Francis)

O Programa Estadual de DST/AIDS e Hepatites Virais da Secretária de Estado e Saúde (SES), de Mato Grosso do Sul, iniciou desde ontem (30), diversas ações que celebram o Dia Mundial de Luta Contra AIDS, no qual é comemorado nesta terça-feira (1).

Segundo a Gerente Técnica do Programa DST/AIDS de Mato Grosso do Sul, Daniele Martins Tebet, durante toda essa semana, ocorre em todos os 79 municípios do Estado, em alusão ao Dezembro Vermelho, uma campanha para prevenção e diagnostico ao HIV.

“Os municípios estão disponibilizando campanhas com teste rápido de fluido oral, a distribuição de preservativos que é realizada durante o ano inteiro e é gratuito, o encaminhamento para os atendimentos de saúde necessários. No mês de dezembro é realizada uma campanha mais concentrada nas ações de prevenções de AIDS, mas durante o ano todo todo esse mesmo sistema também está disponível a população”, explica.

A técnica destaca que entre as ações, os municípios estão realizando palestras de orientação aos servidores, a Secretária de Estado também realiza as mesmas ações, inclusive em empresas privadas, em relação a população alem de panfletagem, uma orientação pessoal com o objetivo de sanar as duvidas. Na Capital, a ação realizada pelo programa municipal de DST/AIDS de Campo Grande, acontece na Praça Ary Coelho.

Daniele frisa que a falta de informação aliada ao preconceito da sociedade e o medo do diagnostico é considerado uma das principais barreiras para o tratamento da AIDS no âmbito nacional. Um outro problema é a banalização do uso do preservativo entre os casais.

“As pessoas aboliram o preservativo do seu dia a dia, quem usava não usa mais e os que não usavam continuam sem usar. As pessoas julgam que em um relacionamento solido não seja necessário o preservativo, seja ele homo afetivo ou hétero afetivo, e por isso nos ainda enfrentamos a desinformação sobre o vírus HIV. O vírus ainda está circulando, não se ouve falar tanto assim por conta so sigilo, nós vivemos um momento de epidemia tanto nacional quanto internacional, porem temos o tratamento que é indicado a partir do diagnostico, independente de ser um caso apenas de HIV ou de AIDS, e deve ser iniciado o quanto antes”, explica.

Números – Em Mato Grosso do Sul, somente no ano de 2014 houve 342 casos de HIV positivo e 239 de AIDS. Já no período de até novembro de 2015 foram notificados 404 casos de HIV positivo e 165 casos de AIDS.

Diagnostico e Tratamento – Os paciente podem fazer a testagem rápida em qualquer município, caso o resultado seja positivo, o mesmo é encaminhado ao Serviço de Atendimento Especializado (SAE) da região, na qual existe 11 unidades sendo 2 em Campo Grande.

No local o paciente passa por uma consulta com o especialista e posteriormente encaminhado ao tratamento. O medicamento pode ser retirado no município de origem, haja vista que um enfermeiro ou um responsável pelo programa municipal, vai ao SAE com o número de registro do paciente retira o medicamento.

 Paulo Francis

Comentários

comentários