Acidentes de trânsito foram responsáveis por mais de 7 mil atendimentos na Santa Casa em 2016

A Santa Casa de Campo Grande divulgou dados acerca dos atendimentos realizados em 2016. De acordo com o levantamento publicado pelo hospital foram 7.240 atendimentos de vítimas de acidentes de trânsito, média 603 atendimentos por mês. Os números foram publicados no site da instituição nesta terça-feira (10).

Divulgação – Santa Casa

Em 2015 foram realizados 6.349 atendimentos de vítimas de trãnsito em Campo Grande e no interior de MS, média de 539 atendimentos por mês. Em comparação com 2015, o ano de 2016 obteve um aumento de 14% nos atendimentos específicos para vítimas do trânsito.

Os setores de ortopedia e traumatologia realizou 631 atendimentos somente em dezembro do ano passado, e de acordo com a publicação a maior parte deles está ligado diretamente a motociclistas. Em 2016, deram entrada no Pronto Socorro da Santa Casa, 4.715 motociclistas um aumento de aproximadamente 11% quando comprado com o mesmo período de 2015 onde foram atendidos 4.249 envolvidos em acidentes com moto.

Paralisação

O atendimento hospitalar na Santa Casa de Campo Grande, continua parcial por motivo da paralisação dos trabalhadores em enfermagem, administrativos e técnicos em radiologia. Com o pagamento da  folha de dezembro em atraso, os profissionais deflagraram nesta terça-feira (10), a operação tartaruga, paralisando as atividades a cada 3 horas, com adesão de 70% dos profissionais.

“A justificativa do hospital é que a prefeitura não efetuou o repasse. Já em reunião, ontem pela manhã, representante da Secretaria Municipal de Saúde, enfatizou que a verba existe, no entanto destacou que o contrato entre a prefeitura e Associação Beneficente de Campo Grande ainda não foi renovado por isso o valor não foi encaminhado”, explica o diretor do Sindicato dos Técnicos, Tecnólogos e Auxiliares em Radiologia de Mato Grosso do Sul (Sinterms-MS), José Silva Carrijo.

Antecipação de Repasse

De acordo com o presidente do SIEMS, Lázaro Santana, em reunião ontem, no final da tarde, a direção da Santa Casa afirmou que a prefeitura se comprometeu a efetuar a antecipação do repasse ao hospital. “O movimento paredista continua, até recebermos de fato uma comprovação concreta de que os salários serão pagos, de que a prefeitura realmente irá realizar esse repasse à Santa Casa, a paralisação é a única alternativa encontrada pela categoria para pressionar pela agilidade no pagamento, todos dedicam-se e trabalham com responsabilidade, merecem ser respeitados”, destaca.

Ranking

Mato Grosso do Sul tem a quarta maior taxa de mortes por acidentes de trânsito do país. É que aponta o relatório “Retrato da Segurança Viária”, desenvolvido pela Ambev e a consultoria Falconi. O levantamento faz o cruzamento de dados de vários órgãos e entidades relativos ao ano de 2014 e leva em conta no cálculo do indicador, o número de óbitos por 100 mil habitantes.

De acordo com o relatório, em 2014 o estado registrou 857 mortes por acidentes de trânsito, o que resultou em um taxa de 32,7 óbitos por 100 mil habitantes. O indicador foi superado apenas pelo registrado no Piauí, com 40,7, pelo Tocantins, com 39,6 e pelo Mato Grosso, com 37,4 e está bem acima da taxa nacional, que foi de 21,9.

Além disso, uma cidade do estado, Cassilândia, a 437 quilômetros de Campo Grande, registrou no ano a oitava maior taxa de mortes por acidentes de trânsito entre todos os municípios brasileiros, com 92,8 registros por 100 mil habitantes.

Comentários

comentários