Reinaldo é o segundo governador mais bem avaliado do Brasil, revela Ibope

Com 50% de ótimo e bom, o governador Reinaldo Azambuja é o segundo mais bem avaliado do Brasil, entre as capitais. A informação foi publicada em matéria de José Roberto de Toledo, do jornal Estadão nesta segunda-feira (05). A reportagem avalia a perda de prestígio dos governadores frente às crises política e econômica.

Governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), na comemoração dos 181 anos da Polícia Militar, nesta segunda-feira (5).
Governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), na comemoração dos 181 anos da Polícia Militar, nesta segunda-feira (5).

Comparado com os outros 27 gestores, Reinaldo tem mais que o dobro de aprovação, uma vez que os governadores registraram a média de 24% de ótimo/bom. A pesquisa mostra a frente de Reinaldo, somente o governador de João Pessoa, Ricardo Coutinho, com 61% de aprovação no segundo mandato.

No quesito rejeição, Reinaldo também aparece com o segundo menor índice, registrando 10%, na frente somente do governador de João Pessoa, que obteve 8% de ruim ou péssimo. A matéria aponta que saúde e segurança são os problemas municipais mais frequentemente apontados pelos eleitores das capitais, justamente as áreas com obrigações compartilhadas por prefeitos e governadores.

Toledo analisa ainda que em toda disputa eleitoral, há bastante influência da popularidade de quem busca reeleger-se ou fazer um sucessor. A boa e excelente avaliação de Reinaldo na casa dos 50% explicaria o aumento na aprovação da candidata Rose Modesto. Isso porque, ela saiu do terceiro lugar e passou para o primeiro, em empate técnico com o candidato do PSD, Marcos Marcello Trad.

A avaliação do Governador de MS feita pelo Ibope registrou em Campo Grande: ótimo 10% , bom 40%, regular 34%, ruim 4% e péssimo 6%. Foram ouvidos 602 eleitores entre os dias 29 de agosto e 1º de setembro. A margem de erro é de quatro pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de quatro pontos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS) sob o protocolo MS-07484/2016.

Comentários

comentários