22-07 – CRIATIVIDADE PRA VENDER CARRO VELHO

Pedro

Pedro Mattar

Pode até parecer malandragem (e, é), mas estou com preguiça de escrever e vou reproduzir hoje um anúncio muito criativo, que lí num jornal e comprova que o engenho humano tem muita lenha pra queimar, antes de ser substituido pela tecnologia.

Um sujeito publicou neste mês um anúncio na página de classificados, queria vender um Peugeot 504, modelo 1995, todo baleado e com a pintura raspada em vários setores da lataria. Em síntese, o carro era uma verdadeira merda rodante. Mas era o que ele tinha pra oferecer. É a partir dos desafios que surge a criatividade. Adiante, os trechos do anúncio que ele publicou no jornal:

PEUGEOT 504 MOD 95 (R$ 2.300) GNC (foto) 

“Vendo esta maravilha da engenharia francesa, um detalhe menor entre as suas muitas virtudes.”

“Imunidade a granizo: divirta-se olhando os proprietários de carros novos correndo em busca de coberturas para evitar a preocupante queda de pequenos icebergs, alguns com o tamanho de elefantes, sobre seus bólidos novinhos. Se um desses granizos caísse sobre a chapa do 504 e fizesse alguma diferença, desapareceria a vida no planeta, tal como a conhecemos.

Imune à multas por excesso de velocidade: quando você compra um zero quilometro importado ou de última geração, você tem que dirigir preocupado não apenas com a velocidade que ele oferece, como a inveja dos olhares, fica paranoico. Isso nunca irá ocorrer com este prodígio de tecnologia do 504. Você jamais conseguirá andar em velocidade e ninguém ficará com inveja de você.

Se você assistiu Relatos Selvagens, jamais tentará ultrapassar alguém na estrada, verá que os demais carros respeitam e querem ver você de longe. Eles abrirão passagem quando você se aproximar (medo de abalroamento), ou irão acelerar ao perceber sua proximidade.

Backup de combustível: o 504 funciona a gás e gasolina, especial para folgados que esquecem de abastecer combustível, como eu. Poucas vezes na vida você contará com esse Plano B, sedutoramente alternativo.
Desfrutar a vida é mais importante que tudo. As tecnologias implementadas avançam todos os dias e despersonalizam o indivíduo no seu cotidiano. Este não é o caso.

O prazer do vento: O 504 não tem ar condicionado e nem calefação, o que exige abrir as janelas e o teto. Isso aproxima você do prazer proporcionado por uma motocicleta e tudo o que isso implica ao incorporar o espírito libertador de um carro aberto à vida..

Sons da natureza. O fato do 504 não ter rádio, nem CD, nem MP3, nem USB, permite a você viajar escutando os sons do ambiente e das cigarras antecipando o calor que se aproxima. No 504 a natureza é envolvente. Você conta com a vantagem adicional de não ser incomodado pelas tecnologias, nunca irá se amargurar com alguma música triste programada no rádio. E correr o risco de um acidente quando chutar o aparelho a pontapés” (Jornal El Clarin de 15 de Julho, 2015)

Aqui entre nós, o cara pode até não ter conseguido vender a tralha que pretendia, mas chamou a atenção pela forma original de como tentou valorizar o impossível.

[email protected]

Comentários

comentários